MANIFESTO
JUNTOS NA UFRGS:
NA LUTA É QUE A
GENTE SE ENCONTRA!

Este manifesto é um compromisso e um convite à construção de uma alternativa combativa, independente e democrática para o DCE da UFRGS.

 

A eleição de Bolsonaro e da extrema-direita no Brasil é reflexo de uma mudança qualitativa do regime político. Bolsonaro e sua turma representam o aprofundamento da agenda antipovo de Temer, de retrocesso em nossos direitos sociais, de ataque aos serviços públicos, de autoritarismo. O carro-chefe de seu pacote é a Reforma da Previdência que quer fazer com que a nossa geração perca o direito a aposentadoria.

O projeto educacional do governo vai de mal a pior. O Ministro Vélez caiu e seu substituto segue com o mesmo objetivo: destruir a educação pública, atacar nossa auto-organização e o pensamento crítico. Bolsonaro chegou a falar que gostaria de “uma garotada que comece a não se interessar por política”. Para eles, não há espaço para a liberdade de pensamento e as conquistas democráticas das lutas populares de nosso povo devem ser apagadas. É por isso que tentam falsificar os livros didáticos e homenagear a ditadura militar tratando torturadores como heróis.

 

O papel da juventude e do movimento estudantil é organizar a resistência contra esse governo para derrotar seus planos econômicos e ideológicos. Mostrar que não aceitaremos perder nosso direito ao futuro e que suas ideias antipovo e obscurantistas voltem para a lata do lixo da história!

A Universidade pública e a UFRGS

A situação da Universidade Pública não está fácil. O projeto ultraliberal de Bolsonaro e Paulo Guedes coloca em risco a existência da universidade como conhecemos hoje.

Na UFRGS vivemos essa situação desde o governo Dilma e seus cortes na Educação.  A PEC do Teto de Temer foi um dos maiores ataques dos últimos anos, que paralisa basicamente o gasto em capital e estrangula o investimento social no país por 20 anos. O novo governo aprofunda essa agenda, querem o fim da Universidade Pública e vem sistematicamente atacando seu orçamento.

Vimos na UFRGS nos últimos anos a burocratização dos acessos aos direitos estudantis. Burocratizaram o acesso ao RU. Ficou mais difícil conseguir auxílio para eventos  e a UFRGS já proibiu seus ônibus de realizarem viagens. O auxílio passagem necessita de número mínimo de disciplinas, sem dizer o atraso nas bolsas já miseráveis que temos. Junto à isso, assistimos nos últimos dias o anúncio do fim do auxílio material, que vai prejudicar ainda mais o estudante no dia a dia da universidade.

Para entrar na UFRGS também tem sido difícil. A Reitoria alterou o sistema de ingresso e burocratizou a tal ponto a entrada dos estudantes cotistas que tem gente há mais de 1 ano com matrícula provisória, a tal matrícula precária. Além de um desrespeito com a política de cotas é vergonhoso que a universidade não consiga garantir um processo justo e transparente que resolva os problemas. Quando falamos de uma vaga no ensino superior estamos falando de sonhos!

O DCE UFRGS e o movimento estudantil

Com tudo isso acontecendo, o DCE UFRGS dirigido pela UJS (PCdoB) e juventudes do PT não vem propondo nenhuma luta na universidade. São inoperantes em defender nossos direitos e aproveitam de sua boa relação com a Reitoria para fazerem reuniões de enrolação que não encaminham nada para resolver os problemas que estamos enfrentando.

Os mesmos grupos políticos estão no comando da União Nacional dos Estudantes há décadas e nos últimos dois anos tomaram o DCE da UFRGS para aplicar a mesma burocracia e paralisia. Passamos mais um ano com um DCE que não convoca assembleias, plenárias, reuniões e não envolve os diretórios e os estudantes para organizar as lutas na universidade. O momento político que vivemos exige entidades estudantis democráticas com a disposição e a coragem de enfrentar o governo autoritário com atitude e combatividade!

É nesse sentido que propomos uma unidade do setor consequente do movimento estudantil da UFRGS, dos Centros e Diretórios Acadêmicos, das Atléticas e do conjunto dos estudantes, pois sabemos os desafios que estão colocados para a nossa geração. Sabemos que NA LUTA É QUE A GENTE SE ENCONTRA e convidamos você a vir conosco retomar o DCE da UFRGS para a autonomia e independência do movimento estudantil, com a radicalidade necessária para enfrentar o projeto bolsonarista e a Reforma da Previdência.

MOBILIZE-SE! ASSINE EMBAIXO E VAMOS JUNTOS!