#‎BelaRecatadaEdoLar‬ uma ova! Lugar de mulher é onde ela quiser

Nathi Bittencurt 20/abr/2016, 11h17

RJ - MANIFESTAÇÃO/CUNHA/RJ - POLÍTICA - Ato pelos direitos da mulher e contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), no Rio de Janeiro, nesta quarta-feira. A manifestação teve início no Edifício de Paoli, onde Cunha tem escritório, e seguiu para a Cinelândia, no centro da cidade. O ato faz parte da Semana de Lutas pelo "Fora Cunha", com eventos em várias cidades. 28/10/2015 - Foto: FÁBIO MOTTA/ESTADÃO CONTEÚDO

Na contramão da história, a revista Veja insistiu em prestar seu desserviço à luta das mulheres brasileiras mais uma vez. Em recente matéria sobre o perfil de Marcela Temer, esposa do vice-presidente Michel Temer, reafirmou a imagem figurativa que as mulheres têm no cenário político do país.

Segundo a Veja, Marcela se encaixa nos moldes para ser uma mulher bela, recatada e do lar. Sua rotina passa por cuidar da casa, levar e trazer o filho na escola e manter o marido informado sobre a temperatura ambiente.

No último domingo pudemos assistir o show de horror que é a política no Congresso Nacional. As poucas mulheres deputadas eleitas foram assediadas ou hostilizadas pelas centenas de deputados homens ao redor, ao declarar seu voto a respeito do tema do impeachment. As plaquinhas verde e amarelo “Tchau, Querida” se referindo à presidenta ironizavam a desqualificação que nós mulheres recebemos em qualquer espaço de poder.

Nas redes sociais as mulheres responderam o que acharam do rótulo: diversas fotos e memes descontraídos e fora dos padrões delicados femininos tomaram o Facebook com a hashtag #‎BelaRecatadaEdoLar‬. Não aceitaremos estereótipos que querem nos impor um lugar menor na sociedade.

Esse é o papel que a revista defende sobre nossa presença na política, o papel doméstico e sem protagonismo nas decisões. Durmam com essa: nós vamos permanecer ocupando as ruas contra os ajustes dos governos e o patriarcado. Foi a nossa Primavera Feminista que emparedou o corrupto e misógino Eduardo Cunha. Ocuparemos a política cada vez mais com as vozes das ruas.

Estamos cansadas de representar o papel de recatadas, que nas entrelinhas significa esperar submissão e silêncio sobre nossas opiniões. Não usaremos vestidos apenas na altura dos joelhos e cores claras, vamos usar o que quisermos: de minisaias à shortinhos, sem medo de julgamentos. Não somos, há décadas, mulheres que ocupam apenas o posto de gerentes de um lar, uma casa. Somos todas belas, e nosso lugar é onde quisermos, seja no lar, seja na política!

Nathi Bittencurt faz parte do Grupo de Trabalho Nacional do Juntos e é Diretora Plena de Mulheres da UNE pela Oposição de Esquerda.