Pontes para outro futuro: sem cortes e sem temer

08/jun/2016, 15h44

*Nota do Coletivo Universitário do Juntos!

Em menos de um mês que Temer assumiu como presidente interino é possível perceber o futuro que sua ponte reserva à juventude e aos trabalhadores. Um futuro que agrada a casta política, os banqueiros, latifundiários, uma vez que esta ponte vem sendo construída sob pilares do boicote à Operação Lava Jato, da queda de ministros, da intensificação dos cortes em áreas essenciais como saúde e educação. Esse futuro não nos reserva nada positivo.

O governo Temer e sua ponte não supera a precarização da educação. No meio de uma intensa crise econômica fez sua opção: manter o exorbitante lucro dos mais ricos em detrimento do povo. O novo ministro da Educação Mendonça Filho (DEM) se reuniu com Alexandre Frota há poucos dias “para colocar algumas ideias para ajudar o país que amo”, ideias que apontam para o fim das cotas, proibição da discussão de gênero, retirada de disciplinas como sociologia para a volta do ensino religioso. Um ataque desmedido realizado por um estuprador confesso em rede nacional. O governo interino de Temer se alinha com o que há de pior para construir o futuro da educação.

O futuro a nós pertence assim como a construção de uma ponte como rumos diferente do que os governo de Dilma e Temer vem impondo. O rumo das ocupações de escolas e reitorias por valorização e qualidade, das mulheres que não aceitarão nenhuma a menos por falta de creche universitária e nenhum estupro a mais nos campus, gritamos basta a cultura do estupro! No Brasil afora a juventude está em luta.

Rumos que somente organizados poderemos construir! Três anos após Junho de 2013 a juventude vai sacudir as universidades no 17J. Vamos mostrar aos governos que cortes na educação não nos representam e que seguiremos em luta por políticas eficazes de assistência e permanência estudantil. Nossa ponte será construída com a intensidade dessa juventude que saiu às ruas em 2013, resgatando o sentimento de que a política deve ser ocupada por todxs!

É retomando o espírito de Junho que convocamos a juventude a construir uma nova ponte para o futuro que desejamos e merecemos. Vamos construir no dia 17 de Junho o Dia Nacional de Lutas na Educação, por cotas raciais e sociais em todas as Universidades, contra o cortes de bolsas e privatização das escolas básicas, por um ensino sem opressão, por creche universitária, pela permanência do PIBID, PROUNI, FIES e do ministério da ciência e da tecnologia e inovação (MCTI).

Somos a juventude sem medo e iremos construir pontes sem cortes e sem temer!