Feliciano na cadeia já!

‫Nathi Bittencurt‫Tássia Lopes 07/ago/2016, 13h08

Nessa semana foi publicada no blog da Esplanada a acusação de estupro contra o pastor e deputado Marco Feliciano contra uma jovem militante do PSC, em 15 junho deste ano. Após os vídeos publicados pela vítima desmentindo o caso, o blog publicou áudio da conversa entre a jovem e o chefe de gabinete do Feliciano, Talma Bauer, onde ele afirmava que sabia das práticas do pastor e, nitidamente, tentava abafar o caso.

Ontem foi publicado nos jornais o pedido de prisão de Bauer por sequestro da jovem. Ela, de forma corajosa, relatou à Polícia Civil que foi atraída ao apartamento do Feliciano, agredida com soco e chute e só conseguiu escapar por que uma vizinha escutou os gritos. Além disso, foi ameaçada de morte pelo pastor Everaldo – presidente do partido e ex-candidato a presidência da república.

Esse caso é escandaloso: estupro, sequestro, coerção, ameaça de morte por membros do alto escalão do PSC. Partido que instrumentaliza a pauta das mulheres com o projeto absurdo, proposto por Jair Bolsonaro, de castração química para estupradores e ao mesmo tempo contra a desconstrução do machismo através da discussão de gênero nos Planos de Educação. Esse partido se utiliza da fé do povo para garantir cadeiras nos espaços de poder e do foro privilegiado para sair impune desse tipo de crime.

Nós mulheres conhecemos o medo de sofrer assédio nos espaços públicos e privados, nas instituições e no trabalho. Sabemos bem o medo do assédio por pessoas de deveriam ter nossa confiança, uma vez que a grande maioria dos casos de estupro são feitos por parentes, companheiros e conhecidos das vítimas no âmbito privado. Mas nós não nos calamos mais! Denunciamos nosso primeiro assédio, denunciamos nosso amigo secreto que é tão semelhante entre nós, nosso professor abusador. Emparedamos o Cunha que dizia-se defensor da família e das pessoas de bem, atacando as mulheres, negras e negros e LGBTs, com uma conta bancária cheia na suíça com dinheiro desviado por corrupção. Nossa indignação aumenta os índices de denúncias no Disque 180. Nossa primavera é imparável.

O movimento LGBT derrotou Marco Feliciano com o projeto da cura gay em 2013, mesmo ano em que ele declarou que estupro e sexo sem consentimento são coisas diferentes, ferindo milhares de vítimas brasileiras. Não aceitaremos que ele se esconda atrás da (in)justiça para os engravatados. Somos contra o foro privilegiado, tal como, qualquer diferenciação que exista entre os parlamentares e o povo brasileiro. Queremos sua punição e chamamos todas as mulheres que se sentem na pele o machismo para se levantar na próxima semana.

Estupradores não passarão. Precisamos virar a política e a sociedade do avesso: nós vamos fazer um escândalo até que esses criminosos sejam punidos. Vamos ocupar as ruas, as redes e a política até que a cultura do estupro seja realmente derrotada, nessa luta estamos Juntas!

Tássia Lopes é Diretora de Mulheres da UNE pelo Juntos!. Nathi Bittencurt é pré-candidata a vereadora em Porto Alegre.

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017