De Teresina a Porto Alegre: vai ter luta. Nada sobre nós sem nós!

Duardo De AndradeEndrews Wllisses 28/nov/2016, 16h50

O sonho de todo aluno é estudar em uma escola digna e de qualidade. Escola com uma boa estrutura, salas de aulas climatizadas, laboratórios de informática, materiais para as aulas práticas das variadas ciências, coisas que, assim como no resto do Brasil, não existem nas escolas públicas do Piauí. Acreditamos que é dever da escola ser um espaço com o intuito de garantir os direitos dos alunos de tal forma, garantindo assim um futuro promissor.

A educação em nosso estado é bastante precarizada, em algumas unidades a merenda escolar não supre as necessidades adequadas, ou não é o suficiente para todos, muitos ficam sem comer, passam o período de aula com fome, e acabam passando mal. A estrutura de algumas escolas estaduais no Piauí despertam enorme preocupação, muita delas sequer tem um muro seguro ao redor do prédio levando a diversos episódios de bandidos invadindo algumas escolas – em função do fácil acesso – e botarem em risco a vida de vários estudantes e levarem seus pertences. Isso é responsabilidade de quem?

Os alunos que residem na Zona Rural não têm acesso a escolas próximas de suas casas, precisam acordar ainda na madrugada para pegar um transporte de horário único para irem estudar; isso é um absurdo! É um esforço desumano até mesmo para se locomover até o local de estudo. Vale ressalta que nós, teresinenses, jamais fomos felizes com o transporte público oferecido aos cidadãos. Ônibus de péssima qualidade, sem climatização, sem segurança, e com poucas rotas. Não suprindo a necessidade dos cidadãos.

O movimento estudantil, sobretudo secundaristas, demonstraram a força da indignação da juventude e fizeram com que o governo de São Paulo voltasse atrás numa reorganização anti-democrática de salas de aula no ano passado. Nesse sentido, dado os retrocessos de Temer, de Porto Alegre a Teresina, de Manaus a Salvador a juventude se mobiliza para ser o principal setor a enfrentar a PEC 55 e o ajuste fiscal, a MP 746 que precariza o Ensino Médio – numa reforma que sequer consulta a comunidade escolar – e o projeto da Escola Sem Partido, que em suma quer suprimir o debate crítico dentro das escolas.

A realidade é que isso tem que mudar. Precisamos nos unir e ousar lutar por nossos direitos – que todo dia os governos vêm ameaçando nos tirar – e esse é mais um dos motivos para juntos irmos à luta contra o retrocesso, contra o governo ilegítimo, contra a PEC da Morte, contra o Sistema. Uma juventude secundarista já está acordando para lutar contra isso, em Teresina já temos a primeira escola secundarista ocupada, assim como um Instituto Federal e a Universidade Federal do Piauí. Várias escolas do ensino básico e Campis da Universidade Federal também já foram ocupadas no interior do estado. Acreditamos que, com determinação e organização conseguiremos vencer essa luta.

Nada sobre nós sem nós! Ocuparemos tudo por nenhum direito a menos e por nenhum minuto de sossego a esse governo ilegítimo.

A luta é de todos e por todos, vamos JUNTOS!

 

Duardo de Andrade e Endrews Wlisses são militantes do Juntos! Piauí.

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017