Nota em solidariedade a Carlos Henrique Senna

09/fev/2017, 18h24

Por Juntos! RJ

Mais uma vez, hoje o funcionalismo público, estudantes e cidadãos do estado do Rio de Janeiro foram pra frente da Assembleia Legislativa em uma grande manifestação. As principais bandeiras de luta pediam o pagamento dos salários de parte dos servidores que estava atrasado, contra a privatização da CEDAE – companhia de fornecimento de água e saneamento -, contra o desmonte das universidades e escolas estaduais e contra o pacote de ajustes do governo corrupto do estado- que conta também com chantagem colocada pelo governo federal.

A instabilidade e o clima de tensão se aprofundaram ainda mais com o andamento da cassação da chapa Pezão-Dornelles (PMDB) impulsionada pelo povo na rua e pela ação judicial e parlamentar do deputado Marcelo Freixo (PSOL). Com tudo isso, hoje as ruas do Rio amanheceram com policiamento ostensivo, algo que mais se assemelhava a uma tática de guerra. E assim a postura da PM se manteve durante o ato, com forte repressão, muitas bombas de gás e balas de borracha disparadas ininterruptamente.

Nesse campo de guerra colocado pela Polícia, um estudante secundarista foi baleado, Carlos Henrique Senna que é militante da União da Juventude Rebelião, está na mesa de operação no Hospital Souza Aguiar. O médico informou que houve lesão grave do intestino, além de afetar o estômago. A bala é de borracha e perfurante. O rapaz, de 18 anos, estuda no Colégio Hebert de Souza, na Tijuca.

Nós do Juntos! gostaríamos de demonstrar toda nossa solidariedade a Carlos, à UJR, seus amigos e familiares e esperamos que ele se recupere rapidamente. Seguimos nas ruas contra esse governo que nos rouba, nos corta direitos e quando vamos às ruas reivindicar o que é nosso, nos ataca de maneira escandalosamente brutal. Lutar não é crime!

Que a nossa solidariedade por Carlos se converta também em vontade de lutar e enfrentar esse governo, pois só assim poderemos avançar. Contra o pacote dos corruptos fora Pezão e sua máfia!