Contra a violência policial: o Goiás resiste!

04/maio/2017, 14h31

Vitor Cesário é estudante da UnB e do DCE Honestino Guimarães

No estado de Goiás não é novidade que o governador Marconi Perillo (PSDB) responde a mobilização e luta dos estudantes com uma dura repressão policial. Desde as ocupações de escola em 2015, dezenas de estudantes já foram violentados pela Polícia Militar e sofrem perseguição política, de forma que possuem suas casas invadidas, são alvos de abordagens espontâneas e frequentemente são agredidos. Infelizmente, virou rotina daqueles que participam de movimentos sociais se preocuparem em não andar sozinhos nas ruas, não expor seus nomes etc.

O caso mais recente da truculência da PM goiana foi durante a greve geral do dia 28/04. No dia em que milhões de trabalhadores e estudantes pararam l país contra as Reformas da Previdência e Trabalhista, Marconi Perillo colocou seus homens nas ruas para tentar assasinar os manifestantes. Mateus Ferreira foi a principal vítima desta política de repressão. O estudande de Ciências Sociais da UFG sofreu uma tentativa de homicídio durante o ato, teve seu rosto desconfigurado e está internado em estado grave.

Além do Mateus, outros também foram vítimas da repressão do estado. Lucas, um estudante de Química da UFG sofreu uma dura perseguição política. Além de ter sido abordado com a justificativa de que era um traficante, o rapaz teve seu carro baleado, sofreu torturas, teve sua casa invadida e revistada por policias e parou de ir à universidade.

Felizmente, a juventude goiana não se cala diante das atrocidades e responde a política coronelista de repressão do governado Marconi Perillo com muita luta. Ontem (03/05), os estudantes e trabalhadores fizeram um ato que foi em direção ao Ministério Público de Goiás exigir que as investigações do capitão da PM responsável pela tentativa de homicídio ao Matheus seja investigado pela Polícia Civil e responda enquanto civil, ao invés de ser julgado pela corregedoria da PM.

O Juntos! presta toda a solidariedade ao Mateus, e estima sua rápida recuperação. Apoiamos irrestritamente os estudantes que sofrem perseguição no estado, e exigimos a devida responsabilização do Capitão Sampaio, agressor do Mateus. Além disso, a responsabilização e devidas medidas devem ser tomadas também para o comandante da PM responsável pela operação e para o governador do estado Marconi Perillo.

Mesmo com tanta violência e brutalidade, a juventude e os trabalhadores de Goiás dão exemplo pra todo Brasil que é preciso enfrentar os poderosos para ter direito ao futuro. Lutar sempre, temer jamais!