Nota do Juntos sobre a chacina em Pau d’Arco

31/maio/2017, 15h38

Toda solidariedade à luta dos trabalhadores camponeses! Chega de mortes! Justiça já!

No dia 24 de Maio 9 homens e uma mulher, a maioria da mesma família, foram assassinados na fazenda Santa Lúcia, sudeste do Pará, uma chacina organizada e autorizada pelo Governo de Simão Jatene (PSDB). O massacre ocorreu no mesmo dia em que Michel Temer lançou o Decreto autorizando o emprego das Forças Armadas para “Garantia da Lei e da Ordem no Distrito Federal” e onde a policia utilizou bala letal em manifestantes. Infelizmente as mortes no campo têm sido frequentes nas últimas semanas no Pará. Foram registrados, no final de abril, 8 assassinatos em uma mesma semana, são trabalhadores rurais que historicamente fazem parte de movimentos que lutam pelo direito a Terra.

Infelizmente esses assassinatos têm precedentes, este ano completou-se 21 anos do massacre em Eldorado dos Carajás, a maior chacina provocada pelo latifúndio e autorizada pelo Estado dos últimos tempos. O mesmo governo do PSDB que matou 19 trabalhadores rurais sem terra em abril de 1996 é o mesmo governo que agora ceifou a vida de 10 camponeses. Infelizmente a falta de políticas mais responsáveis para o campesinato continua gerando conflitos intensos no interior dos Estados brasileiros. Segundo o ministério público deixaram de ser investidos cerca de 600 milhões de reais na política de assentamentos ano passado (2016). Com a redução do investimento e o colapso da política de proteção a tendência é que o número de assassinatos só aumente.

Precisamos estar atentos aos conflitos que seguem acontecendo no campo. A Pastoral da Terra já vem denunciando que 80% das mortes no campo estão concentradas na Amazônia. O Pará, nos últimos dez anos (2007-2016), vêm liderando o ranking de assassinatos no campo, foram 103 mortes no Estado. Além disso, o número da lista de pessoas ameaçadas de morte subiu de 144 para 200, segundo a Comissão Pastoral da Terra (CPT) e o Instituto Socioambiental (ISA).

O Coletivo Juntos! repudia a violência e a chacina provocada por Jatene. Os trabalhadores e trabalhadoras rurais merecem Terra e vida digna e não balas e abandono. Hoje no sétimo dia das mortes dos trabalhadores em pau d´arco, faremos uma vigília em frente ao tribunal de justiça do Estado para que o Governador Jatene assuma essa responsabilidade. Seguiremos firmes na luta do povo ao lado dos movimentos sociais e exigimos justiça.