A casa vai cair pro Temer

07/jul/2017, 14h51

Michel Temer escreveu ontem um artigo no “Tendências e Debates” da Folha de S. Paulo cujo objetivo é nos convencer da sua inocência em relação à acusação de ter recebido R$500 mil reais de Joesley Batista. Um insulto ao povo brasileiro!

A Operação Lava Jato, juntamente com o conjunto de operações da Polícia Federal contra a corrupção, revelou uma profunda crise política no nosso país. A democracia da Nova República parece ser nada mais do que um acordo entre a casta política e o sistema econômico para garantir os privilégios de gente muito poderosa, custe o que custar. A Lava-Jato é a maior operação de desmonte de esquemas de corrupção já vista no Brasil e vem tirando de baixo do tapete algo que todos sempre souberam: o Congresso Nacional, os partidos tradicionais e os ricaços estão absolutamente envolvidos em esquemas de corrupção.

É importante lembrar que o dispositivo da “delação premiada”, criticado por Michel Temer, foi sancionado por Dilma durante as Jornadas de Junho de 2013 num momento de desespero dos políticos ao se depararem com manifestações espontâneas de milhões de pessoas nas ruas, tomando a Esplanada dos Ministérios e todas as grandes avenidas do país. Junho de 2013 foi uma explosão da indignação popular exigindo mais direitos e também foi a negação deste regime político sequestrado por políticos que vendem nossos direitos como moeda de troca de seus esquemas corruptos. Hoje, não coincidentemente, as castas políticas estão sendo denunciadas por tenebrosos esquemas de corrupção ao mesmo tempo em que se articulam para retirar nossos direitos com a Reforma da Previdência, Trabalhista, etc.

A rejeição quase unânime de Temer, maior da história, não permite a sua tentativa de fugir das denúncias: é o primeiro presidente da república em exercício acusado de envolvimento em corrupção. Michel Temer era vice de Dilma e foram nos governos petistas que JBS, Eike Batista, Odebrecht se alçaram como os grandes símbolos do desenvolvimento nacional. É evidente que Temer tem rabo preso e não há quem coloque a mão no fogo por ele.

Sabemos muito bem quem são aqueles que envenenam nossas instituições e que possuem “interesses subterrâneos”. A falta de justiça no mundo jurídico é real – para aqueles como Rafael Braga, que, sendo negros e pobres são criminalizados pelo Estado e ficam sem meios de se defender – porém, esses casos passam longe da realidade de Temer. A cínica argumentação do Presidente ignora que é exatamente a política de cortes e retrocessos, somado a corrupção de toda sua base aliada, a real promotora da injustiça para os trabalhadores e a juventude brasileira.

Além disso, os dias do presidente ilegítimo devem estar contados. As delações preparadas por Eduardo Cunha e pelo doleiro Lucio Funaro prometem comprometer profundamente Michel Temer, Moreira Franco, Eliseu Padilha e Romero Jucá. Importante lembrar que Eduardo Cunha articulou junto com Temer o impeachment, ou seja, há muito o que se revelar! A casa vai cair para Michel Temer e, se não cair, vamos derrubar com as nossas próprias mãos!

Por fim, está cada vez mais evidente que a casta política não pode deixar que a Lava Jato continue, porque ela é uma ameaça ao regime que sustenta PT, PMDB, PSDB e as suas relações corruptas com o poder econômico. Querem garantir a sua estabilidade para aprovarem as reformas que destroem os direitos da juventude e dos trabalhadores. Eles estão se debatendo para sobreviver impune a esta crise e garantir os privilégios da elite através dessas reformas. Não temos dúvidas de que é preciso defender que as investigações vão até o fim, que todos os corruptos e corruptores sejam cassados e punidos, doa a quem doer! Fora Temer e suas reformas! Prisão a todos os corruptos!