Os desafios da juventude no Encontro Nacional dos Estudantes de Direito!

26/jul/2017, 20h31

Estudantes de direito de todo o Brasil se reúnem entre os dias 23 e 28 de julho no Encontro Nacional dos Estudantes de Direito (ENED). O encontro tem sede na UERJ – Universidade Estadual do Rio de Janeiro, um lugar simbólico e de resistência para os estudantes do curso. A UERJ é considerada uma das melhores universidades de direito do Brasil e, no entanto, está sendo sucateada pelo (des)governador do estado, Luis Fernando Pezão(PMDB).

Com a crise política e econômica em que se encontra o país um dos maiores encontros de estudantes da América Latina, o ENED, não poderia ter um tema melhor: Nenhum direito a menos. Temer jamais! Segundo o calouro da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Theo Louzada, “O ENED e a FeNED (Federação Nacional dos Estudantes de Direito) tem que ser protagonistas na construção de um movimento estudantil radical da luta pelo #ForaTemer”.

Os temas das mesas vão da acirrada conjuntura nacional às pautas identitárias, como o debate de mulheres que contou com a presença de Samara Castro, representante do Movimento da Mulher Advogada, do Juntos e advogada do processo de cassação do Pezão. Na mesa, Samara destacou a luta das mulheres no último período é uma combinação entre a luta contra a violência masculina, a oposição a informalização do trabalho e à desigualdade salarial.” Num contexto de reforma trabalhista, onde as mulheres são o setor que mais sofre, a fala de Samara demonstra bem qual o sentido dessa luta.

Com os mandos e desmandos do Presidente Michel Temer e o congresso corrupto os nossos direitos estão indo por água abaixo. Agora precisamos ser capazes de formular uma alternativa que supere os erros do passado e que consiga atender às necessidades do povo. Para Alice Maciel, estudante do 3o período da UFRJ, “nesse momento em que o direito esta sendo o centro dos debates, onde se judicializa a política e se politiza o judiciário, esse encontro é importante pra pensar a formação dos estudantes que vão se tornar agentes de um instrumento como o direito, que pode, em alguma medida, ser disputado para estar aliado a luta do povo.”

A mesa que teve como tema “Ocupa tudo: em defesa da universalização do acesso a universidade e da permanência estudantil” não deixou de tocar na necessidade do avanço da luta contra Temer e suas reformas.“Precisamos fortalecer o movimento de juventude e essa mobilização precisa se transformar num projeto de país. Precisamos nos aliar a quem está ao nosso lado, e não a quem nos traiu. E se for ter reforma, que seja reforma agrária e urbana.”  Disse Adriano Mendes, estudante da UFPA, do Juntos e diretor de direitos humanos da UNE.

É bom lembrar: como centro da política, na quinta-feira (27), às 10h, os estudantes estão organizando um ato contra Temer e suas reformas. A concentração da mobilização vai contar ainda com uma aula pública na Igreja da Candelária e deve seguir até a Cinelândia.

O Encontro está sacudindo o Rio de Janeiro e como disse Alice, “O ENED é um espaço com muita potencialidade de organização de um setor estudantil que tem capacidade de interferir nos rumos do pais.” E é isso mesmo que os estudantes estão fazendo!