Pros Jardins flores, pra periferia bala

24/ago/2017, 19h12

Em recente entrevista, o novo coronel das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (ROTA), Ricardo Augusto Nascimento, disse que a abordagem nos Jardins (região nobre do centro de São Paulo) e na periferia tem que ser diferente, deixando claro que a atuação da Polícia Militar nos bairros mais afastados e pobres deve ser agressiva, e nos bairros nobres deve ser educada.

A Polícia Militar de São Paulo é conhecida internacionalmente por ser a que mais mata e mais morre no mundo. Ao mesmo tempo a ROTA, tropa DA elite da PMSP, é muito conhecida pela sua truculência e pelos milhares de assassinatos. Já foi tema de livro por ser recordista em assassinar o povo.

O que diz o novo coronel da ROTA apenas desmascara o caráter racista e classista da polícia, que tem como ideologia a criminalização de negros e pobres, baseada em uma batalha que o Estado já perdeu há muito tempo: a guerra às drogas.

Essa é a ROTA que assassinou 19 pessoas em uma só noite em Osasco e Barueri, é a mesma que incentiva o “grupo de extermínio da PM”, é a mesma da equipe 66 que, em 1975, assassinou 3 pessoas pobres, já rendidas, nos Jardins.

Mano Brown disse em uma entrevista que não tem lugar no mundo mais racista que São Paulo. Aqui a polícia não tem problema em dizer em entrevistas que pretos e pobres são seus inimigos.

Para a periferia a Ronda é Ostensiva e para o bairro nobre a Ronda é Preventiva. A desmilitarização das polícias é urgente!