Binho do quilombo, PRESENTE!

21/set/2017, 16h27

Por Iago Gomes, Militante do Coletivo Juntos! Bahia

Somos o alvo principal de um Estado que nega direitos, que encarcera e mata! Temos nossas vidas arrancadas a cada 16 minutos, e enquanto presenciamos a taxa de homicídios a pessoas não negras cair em 12, 2%, a nossa sobe em 18,2% segundo pesquisa feita pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública em 2005.

Somos mais de 60% da população carcerária do Brasil, o terceiro país com a maior taxa de encarcerados no mundo! Vivemos um genocídio de nosso povo legitimado e assinado pelo que muitos teimam em chamar de “Estado democrático de direito”, este que nunca chegou para nós.

Nesta última terça-feira (19/09), foi feita mais uma vítima da guerra contra o povo preto!O líder quilombola Binho do Quilombo, baiano da cidade Simões Filho, região metropolitana de Salvador, foi morto a tiros logo após ter deixado seu filho na escola e estar se dirigindo ao enterro de uma amiga. Binho foi um grande líder e militante na luta pelas comunidades quilombolas, especialmente a de Pitanga dos Palmares. Filho da ex-secretária da Promoção da Igualdade Racial da cidade, é um exemplo de como o genocídio da população negra afeta a juventude e também as mães e esposas que sofrem a dor de ver seus filhos e maridos serem mortos e encarcerados.

O Brasil possui aproximadamente 2.000 comunidades quilombolas reconhecidas e demarcados, mas a maioria ainda sofre com problemas como falta de água, condições precárias de moradia, saneamento e abastecimento e com a perseguição de grandes fazendeiros ou do próprio governo que insiste em não dar apoio ou os direitos que deveriam ser garantidos por lei, como a situação do Quilombo Rio dos Macacos, também situado em Simões Filho, na Bahia, e que sofre repressão e perseguição territorial da Marinha. Além disso, quase 3.000 comunidades não são reconhecidas ainda, o que gera ainda mais violência por parte dos governos e de grandes proprietários de terra.

Binho do Quilombo foi um de nós na luta por direitos e por reconhecimento de nosso povo! Exigimos que a morte dele seja investigada e que se faça justiça! Nossas vidas importam! Parem de nos matar!

BINHO DO QUILOMBO PRESENTE!