Secundaristas Ocupam Escolas na Argentina

19/set/2017, 13h17

Por Júlio Pontes, militante do Juntos! Rio Grande de Norte

 

Dezenas de escolas secundaristas ocupadas na capital da Argentina. As lutas juvenis, condensadas em torno do método da ocupação, foram precipitadas pela absurda reforma educativa que o governo portenho tenta impor.

A reforma é intragável na forma e no conteúdo. Feita às pressas, orientada por organismos multilaterais, ignora a participação da sociedade civil e dos profissionais da educação. Faz apelo fetichizante ao mercado de trabalho e incentiva as relações público-privado.

Não só contrários ao que determina o governo, os estudantes que ocupam as escolas (hoje, ao todo, 30) exigem a implementação da Lei de Educação Sexual Integral, a criação de um protocolo de combate a violência de gênero nas escolas e o aumento de verbas destinadas a infraestrutura física escolar. Somam-se, ainda, aos milhares de argentinos que reivindicam a aparição de Santiago Maldonado.

Hoje, vinte dias depois desde a primeira ocupação, o movimento secundarista argentino colheu sua primeira – e, ao que se espera, principiante – vitória. Conseguiu abrir diálogo com o governo, até pouco inegociável e intransigente.

Na Argentina e no mundo, toda solidariedade e força aos que lutam e ocupam. Que o levante secundarista argentino ganhe ainda mais estatura e se espalhe países afora!