A luta das mulheres muda o mundo: Peruanas contra o machismo!

01/nov/2017, 15h14

Por: Isabelle Ottoni*

Aconteceu no último domingo (29), o Miss Peru. Mas ao invés das competidoras apresentarem suas medidas, apresentaram as taxas de feminicídio de seus Estados:

“Meu nome é Camila Canicoba e sou representante de Lima. Minhas medidas são: 2.202 casos de feminicídio foram registrados nos últimos nove anos no meu país.”

“Meu nome é Juana Acevedo e minhas medidas são: mais de 70% das mulheres do nosso país são vítimas de assédio nas ruas.”

“Meu nome é Luciana Fernández e represento a cidade de Huánuco, e minhas medidas são: 13 mil meninas sofrem abuso sexual no nosso país.”

As 23 mulheres que representam os departamentos e regiões do Peru apresentaram números sobre a violência contra as mulheres, que incluem violência física e psicológica, abuso sexual, assédio e exploração sexual, para citar algumas modalidades.

A iniciativa não foi apenas das concorrentes, mas fazia parte da organização oficial do evento. Pouco depois, quando desfilaram em trajes de banho, as telas do fundo mostravam manchetes de jornais locais com notícias sobre violência contra mulheres.

Jessica Newton, organizadora do evento, defendeu o desfile de biquíni, que costuma ser visto como o momento mais objetificante dos concursos de beleza. Segundo ela, esse desfile é uma oportunidade de enfatizar que as mulheres devem ser tratadas com respeito independentemente do que estiverem vestindo.

A luta das mulheres muda o mundo!!!

Isabelle Ottoni é militante do Juntos! RJ