Todas contra PEC 181 | Estupro é crime, aborto é direito!

18/nov/2017, 12h36

Por Isabelle Ottoni, do Juntos! – RJ

No dia 13 de novembro, milhares de mulheres foram às ruas em diversas capitais do Brasil para protestar contra a PEC 181, aprovada numa Comissão da Câmara Federal no último dia 08 de novembro. A PEC 181 foi inicialmente apresentada para propor modificações na licença maternidade. Mas, ao longo do processo legislativo dentro do Congresso Nacional, essa proposta de lei completamente diferente foi a incorporada e é por isso que a PEC 181 vem sendo chamada de “Cavalo de Tróia”.

São Paulo

Ao total, são 19 membros da Comissão, dos quais 18 são homens, votaram pela  inclusão de uma mudança no artigo primeiro da Constituição, enfatizando “a dignidade da pessoa humana desde a sua concepção”. Isso tornaria ilegal, por exemplo, o aborto em caso de estupro, de risco para a vida da mulher ou em caso de fetos anencéfalos!

Porto Alegre

Em resumo, o que os deputados esperam é abrir uma brecha legal para condenar mulheres por fazerem aborto mesmo em casos hoje permitidos. Aproposta foi alterada  cavalo pelo relator, o deputado Tadeu Mudalen (DEM-SP). Em entrevista para a Rege Globo, ele chegou a declarar abertamente que havia incluído o conceito de concepção de vida desde o ventre da mulher na proposta porque ele seria contra o aborto!

Rio de Janeiro

Mas a resistência das mulheres foi gigantesca. Houveram atos no Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, Belém, Campinas, Goiania, Florianópolis, Distrito Federal, Curitiba, Belo Horizonte, Salvador, Vitória e muitos mais. Contamos mais de 24 cidades por todo o Brasil! Assim como em 2015 tivemos a Primavera Feminista, enchendo as ruas do país com atos de “Fora Cunha” e “Não a PEC 5069”, outra vez as mulheres não deixarão engravatados ditarem o direito aos seus corpos.

Belo Horizonte

O debate sobre aborto diz respeito a saúde pública. Apenas em 2015, 500 mil mulheres realizaram abortos. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a cada dois dias, uma mulher morre no país, vítima de aborto clandestino. E mais de uma em cada cinco mulheres entre 18 e 39 anos de idade já recorreu a um aborto na vida.

Goiania

A legalização do aborto é pela vida das mulheres. Não serão 18 homens que decidirão pela vida de todas as mulheres do Brasil! Eduardo Cunha caiu pelas mãos das mulheres. Os próximos serão os 18 deputados da PEC 181. Aguardem.

#TodasContraPEC181

#TodasContra18