O povo é quem mais ordena

25/abr/2018, 19h04

Por Vanessa Viana de Quadros, do Juntos! Uberlândia

A canção do português José Afonso tornou-se um verdadeiro símbolo da luta democrática. Há 44 anos, o levante popular em Portugal se iniciou quando “Grândola, Vila morena” foi tocada no rádio na madrugada de 25 de abril. Essa canção e a composição “E Depois do Adeus” (Paulo de Carvalho) eram os dois sinais combinados com o Movimento das Forças Armadas (MFA) para iniciar o levante pacífico que colocou abaixo a ditadura fascista de Salazar, que se instalou em Portugal nos anos 1930.

Depois disso, sucederam-se conquistas democráticas de liberdade para presos políticos, independência das colônias, fim da censura, retorno dos exilados e legalização dos sindicatos e partidos.

O 25 de abril ficou tatuado na memória do povo português como um exemplo de luta democrática que ecoou pra além de Portugal. Chico Buarque homenageou a Revolução dos Cravos com a cantiga Tanto Mar em 1974, quando o Brasil ainda estava muito distante de se democratizar. Em 2012, os protestos contra as medidas de austeridade de Pedro Passos Coelho reviveram a canção de José Afonso, assim como o movimento do 15-M na Espanha.

Nós também exigimos democracia e entendemos que uma democracia real não tem espaço para fascistas na política! Que as sementes dos cravos portugueses brotem esperança e indignação por liberdade no povo brasileiro.