Repressão desproporcional marca ato do MEC

26/abr/2018, 13h47

Hoje, fizemos o que era pra ser um ato tranquilo em frente ao MEC pra lutar contra os cortes de verbas, contra a emenda constitucional do teto dos gastos e pela liberação do uso da verba própria da UnB. Chegando perto do MEC, no entanto, fomos surpreendidos com a presença pesada da cavalaria e da força nacional.

Não nos deixaram nem ficar em frente ao MEC. Após menos de 5 minutos que estávamos lá, sem que os estudantes e trabalhadores fizessem nada, a cavalaria partiu pra cima dos manifestantes tacando bombas de gás e tiros de balas de borracha. Já sabemos de pelo menos 2 detidos e de várias pessoas machucadas por essa polícia violenta.

Não vamos admitir que calem as nossas vozes! A violência da polícia é pra manter o silêncio do MEC sobre o estrangulamento e precarização das universidades públicas. Temos que organizar uma solidariedade nacional aos detidos e feridos imediatamente e fortalecer as nossas lutas.

Assinam:

Juntos

RUA

UJC

Correnteza