Frida Kahlo: Mulheres inspiradoras

11/jun/2018, 20h06

Por Fernanda Garrido, do Juntas RS

“Pés, pra que te quero, se tenho asas para voar? ”, essa é uma das frases de uma grande mulher capaz de deixar seu legado no mundo, com suas obras incríveis. Seu nome era Magdalena Carmen Frida Kahlo y Calderón, nasceu no dia 6 de julho de 1907 em Coyoacán no México.

Com apenas seis anos Frida teve que superar apoliomielite, doença que a deixou com sequelas como uma perna mais fina que a outra e um pé atrofiado. Na juventude matriculou-se na Escola Preparatória Nacional onde começou a estudar medicina. Aos dezoito anos, na volta para casa, Frida sofre um grave acidente que a marcaria para o resto da vida. O bonde onde estavam ela e o namorado chocou-se com um trem e um para-choque de um dos veículos atravessou-lhe as costas, causando uma fratura pélvica, além de várias outras lesões pelo corpo. Frida Kahlo ficou vários meses recuperando-se e passou por 35 cirurgias. Frida ainda teria que encarar uma serie de complicações o resto de sua vida, decorrentes desse acidente.

Frida Kahlo pode ser considerada uma mulher à frente de seu tempo. E não é para menos. Apaixonada pela arte e motivada pela intensidade inerente à vida, Frida se transformou em um ícone do surrealismo e do universo feminino na década de 50. E fez com que sua força se perpetuasse no tempo.

Três anos após o acidente Frida aproximou-se do artista Diego Rivera ao levar alguns de seus trabalhos para que o pintor os analisasse. Esse encontro despertou uma grande paixão que resultou em um relacionamento conflituoso, repleto de traições de ambas as partes e separações, além de três abortos espontâneos que levaram Frida a mais traumas psicológicos. Em um momento conturbado desse relacionamento, Rivera chegou a envolver-se com a irmã de Frida. As aflições de Frida não pararam por aí, durante toda sua vida sofreu com cirurgias e dores no corpo que a levaram quase a dependência de morfina, além de amputações de dedos dos pés e uma perna.

Frida fez sua primeira exposição individual em 1939 em Nova York. A partir daí ganhou fama internacional o que lhe rendeu exposições em Paris onde conheceu grande artistas da época como Pablo Picasso e Marcel Duchamp. Frida foi a primeira artista mexicana a ter suas obras exposta no Museu do Louvre. Entre suas obras de maior relevância estão: O ônibus; Frida Kahlo e Diego Rivera; autorretrato com colar; as duas Fridas; auto retrato com cabelos cortados; O veado ferido; Diego em meu pensamento; entre outros.

Exótica e excêntrica, Frida Kalho quebrou tabus contrariando a expectativa da família, da sua mãe mais especificamente, casando com Diego, um homem de ideal político, religião e estética diferentes do esperado por essa. Além disso, há diversos relatos de sua participação em ligas clandestinas, como a Liga Jovem Comunista, em manifestações nas ruas e em reuniões do Partido Comunista Mexicano.

Uma primeira evidência das suas ideias políticas é sua opção pelo ano de nascimento. A artista nasceu em 06 de julho de 1907 em Coyoacán, Cidade do México. No entanto, em seu diário, afirma ter nascido em 1910, ano em que a Revolução Mexicana explode.

Frida morreu em 13 de julho de 1954 em sua cama. “Espero a partida com alegria…e espero nunca mais voltar…” foram as últimas palavras encontradas em seu diário.