Nota do Juntos em solidariedade aos estudantes e ao povo da Nicarágua

Nós da juventude do Juntos estamos perplexos com o que ocorre ao povo da Nicarágua, país cuja tradição política tem em sua história a luta contra ditaduras, a vitoriosa revolução sandinista e a luta contra o imperialismo.

Nicarágua vive hoje uma de suas maiores crises. O governo Ortega, da FSLN, se afirma como uma verdadeira ditadura ao massacrar o povo, articulado com forças paramilitares, a repressão que acumula hoje mais de 300 mortos, sequestros e torturas.

Comparar esses números ao Brasil nos ajuda a ter a proporção do absurdo e exigir que se rompam imediatamente as relações comerciais com a ditadura orteguista, além da denúncia internacional da violação de direitos humanos. Seriam mais de 20 mil mortos em proporção com o número de habitantes se esta situação ocorresse por aqui.

As imagens e notícias desses últimos dias mostraram, por um lado a força das mobilizações do povo, e por outro o ataque dos paramilitares aos estudantes que ocupavam a Universidade Nacional Autônoma da Nicarágua (UNAN), os jovens que se refugiaram em uma Igreja, enquanto francoatiradores atiravam, faziam vídeos se despedindo de suas famílias e amigos.

A dor e o silêncio pairam sobre Nicarágua. A esquerda latinoamericana pouco tem se debruçado sobre essa crise. É determinante que criemos uma rede de solidariedade e apoiemos o povo na queda do governo orteguista, na luta por democracia, pelo fim da repressão e por justiça. Lutar não é crime! E nós do coletivo Juntos estamos com os estudantes da UNAN por Nicarágua.

No eran delincuentes e sí estudiantes. Libertad UNAN!

Juntos com UNAN! Juntos por Nicarágua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *