Não vão calar o movimento estudantil

Nota do Juntos

O resultado eleitoral do primeiro turno mobilizou o movimento estudantil brasileiro. Em reunião as entidades dos estudantes, UNE, UBES e ANPG aprovaram consensualmente uma campanha em defesa da democracia e em repúdio a Bolsonaro. Tal ação foi acompanhada de grandes e históricas Assembleias, Plenárias que criaram e fortaleceram a organização de comitês #EleNão.

Enquanto o movimento se nacionalizava pelas universidades de todo país, Bolsonaro decidiu processar a UNE para que ela não se pronunciasse sobre as eleições, uma censura que foi acatada pelo TSE. Não muito depois diversos Tribunais Regionais Eleitorais pelo país iniciaram uma campanha de perseguição política ao movimento antifascista das universidades. A retirada da faixa “Direito Antifascista UFF” ganhou repercussão e irradiou a luta contra a censura. Em pouco tempo haviam faixas antifascistas por faculdades de todo o país. Ao mesmo tempo o DataFolha noticiava que Haddad ultrapassava Bolsonaro na juventude de 16 a 24 anos.

A data de ontem, dia 26, fazia parte do calendário nacional de mobilização que levou milhares de estudantes as ruas. Hoje, a presidente do TSE e ministra do STF Carmen Lúcia declarou a censura feita pelos TREs nas universidades como ilegal e suspendeu todas decisões desse porte – uma vitória da luta coletiva do movimento estudantil. Carregamos em nossa história um legado de luta pela democracia. Em memória dos que tombaram e em defesa do nosso futuro não abaixaremos nossas cabeças.

Estamos em alerta. Vigilantes contra nossos inimigos. Eles se fortalecem e disputam a consciência de milhares, exigindo de nós mais organização e ação, fazendo de nossas universidades, escolas e territórios trincheiras de resistência e luta. Amanhã teremos o segundo turno e sabemos que estamos em uma luta de longa duração. Que a força coletiva do que construímos nesses últimos dias siga nos encorajando para que em unidade com os trabalhadores, as mulheres, a negritude e os LGBTs possamos encarar os desafios e derrotar o fascismo nas urnas e nas ruas.

#UniversidadesAntifascistas #DitaduraNuncaMais
#EleNão
#Vote13

Grupo de Trabalho Nacional do Juntos!

27 de outubro de 2018