Mulheres contra Temer

Assim como Eduardo Cunha, Temer e todos os corruptos vão cair pelas mãos das mulheres!

250 pessoas já assinaram.
Ajude-nos a chegar em 300!
Clique para assinar

Em 2015, a primavera feminista derrubou Cunha, dando um forte recado aos poderosos: Não coloquem as mãos nos nossos direitos ou iremos derrubá-los.

Esse ano, as mulheres foram o primeiro setor a se mobilizar contra Temer no oito de março. Continuamos nas ruas e na greve geral para barrar as reformas, construindo um feminismo dos 99% contra a casta política corrupta.

Com um magistério sem mulheres e declarações como “Governos precisam ter maridos. Daí não quebram”, Temer mostra seu machismo.

O governo, ao atacar os direitos dos trabalhadores, reforça as opressões sobre as mulheres. Seremos as que mais vão sofrer com as reformas da previdência e trabalhista, em especial as mulheres negras e periféricas. Além da dupla ou tripla jornada, que vem crescendo, as mulheres têm mais dificuldade de permanecer com a carteira assinada, o que torna impossível para uma parcela enorme dessas se aposentar caso a proposta seja aprovada. Com a reforma trabalhista nossas condições já desiguais de trabalho serão ainda mais precarizadas.

Diante das delações da JBS fica mais óbvio que o governo ilegítimo de Temer tem que cair! Não vamos aceitar nenhum direito a menos e queremos que o povo decida o futuro do Brasil.

Assim como Eduardo Cunha, Temer e todos os corruptos vão cair pelas mãos das mulheres!

Fora Temer! Diretas Já!
— Juntas