Contra o aumento das passagens em São Paulo!

27/jan/2011, 13h17

Desde o começo do ano, andar de ônibus em São Paulo significa pagar o preço abusivo de R$ 3,00 por passagem. O aumento da tarifa de ônibus em 11% foi definido pelo prefeito Gilberto Kassab no fim do ano de 2010 e representa a velha política que se repete na história de São Paulo: mais uma vez, a Prefeitura opta por garantir os lucros das empresas de transporte ao invés do direito da população de ter um acesso digno à cidade. Há anos o transporte público em São Paulo aumenta e, no entanto, não se vê os resultados desses reajustes, senão a insatisfação dos jovens e trabalhadores em meio aos ônibus lotados e cada vez mais caros.

Ao mesmo passo, os vereadores de São Paulo, seguindo a Câmara Federal, aumentaram seus próprios salários em 62%, e o governo Dilma oferece o reajuste do salário mínimo de apenas 5,5%. Ou seja, ao mesmo tempo em que se paga mais para parlamentares, que em sua maioria representa essa velha política corrupta, segue-se por deixar a população vivendo com um salário irrisório, que pouco consegue, inclusive, cobrir os gastos diários de transporte com a uma tarifa de R$ 3,00 por passagem. É descabidamente desproporcional!

Tendo em vista essa depariedade, faz-se, portanto, imediata a necessidade de se inverter as prioridades. E para oferecer uma resposta a esses problemas, deve-se perceber o impacto que a política exerce sobre as nossas vidas, principalmente, manifestar a indignação por meio de protesto e de luta política. Historicamente, a mobilização popular, sobretudo por parte dos jovens e trabalhadores, foi o meio responsável por dar respostas a muitas questões que a sociedade e a política tradicional não resolveram. A juventude, em especial, tem se demonstrado capaz de representar sonhos e expectativas que podem construir uma política alternativa, que traga novos quadros, idéias, que construam novos caminhos.

Nesse sentido, a juventude paulistana, no seu direito de manifestação, já começou a se colocar à frente da luta política contra o aumento da passagem de ônibus, indo às ruas de São Paulo protestar, denunciar e, sobretudo, exercer seu papel transformador por meio de passeatas em defesa do transporte público. A tarefa colocada nesse momento é aumentarmos a presença nos atos que virão a acontecer, no intuito de articular e fortalecer essa luta.

Dois grandes atos já ocorreram em janeiro. No primeiro, a polícia reprimiu os mais de mil manifestantes que caminhavam pacificamente. Não nos calamos: a segunda manifestação levou mais de 4 mil pessoas na Paulista, chegando a trancar por 15 minutos o cruzamento com a Brigadeiro. Dessa vez não houve conflitos com a polícia. Agora o próximo tem de ser maior ainda!

Divulguem o mais que puderem. Vamos continuar a expandir essa luta.

Amanhã vai ser maior! VAMOS BARRAR ESSE AUMENTO!

ATO NA QUINTA-FEIRA, 27 DE JANEIRO, ÀS 17H

CONCENTRAÇÃO EM FRENTE AO TEATRO MUNICIPAL (METRÔ ANHANGABAÚ)

E na sexta-feira, dia 28/01, às 10h, Twittaço contra o aumento das passagens!! #contraoaumento