REITORIA DA UFPEL OCUPADA!

26/maio/2011, 19h35

Em protesto, cerca de 250 estudantes ocupam reitoria da UFPel, em Pelotas

Acadêmicos querem entregar ao reitor uma lista de reivindicações de 14 cursos da instituição

do Jornal Zero Hora – Sancler Ebert | sancler.ebert@zerohora.com.br

Durante a tarde desta quinta-feira, cerca de 250 estudantes da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) ocuparam o saguão da reitoria no Campus Anglo. A medida era para entregar ao reitor César Borges uma lista de reivindicações de 14 cursos da instituição.

De acordo com os estudantes, foi buscado um contato de forma diplomática, por meio de ofícios, porém o grupo não obteve retorno. Na tentativa de chamar o reitor para uma conversa, os alunos gritaram “Desce! Desce!” e bateram latas.

A manifestação começou na Rua XV de Novembro, no centro da cidade, por volta das 13h30min, quando os estudantes saíram em passeata e passaram por vários prédios da universidade para chamar os alunos ao protesto. No momento da chegada à reitoria, foram impedidos de entrar, mas forçaram e conseguiram ocupar o saguão do local.

Confira os pontos da lista elaborada pelos alunos:

— Falta de espaço físico para alunos devido ao aumento desproporcional da relação aluno/espaço;
— Transparência no orçamento da Universidade;
— Iluminação das Unidades;
— Segurança;
— Obras da futura casa do estudante e da creche;
— Proporcionalidade na relação assistência estudantil/aumento de alunos;
— Aquisição de livros sem respeitar listas elaboradas por docentes;
— Obras do projeto Reuni em atraso;
— Aquisição de prédios sucateados para reforma;
— Pulverização dos espaços da Universidade pela cidade de Pelotas;
— Gastos de custeio UFPel;
— Proporcionalidade no aumento de alunos/professores;
— Laboratórios de práticas em condições inadequadas de segurança;
— Descarte de resíduos químicos inadequados;
— Inexistência de Hospital Universitário para áreas da saúde;
— Inexistência de laboratórios, como exemplo, o curso de jornalismo;
— Transferência da pós-graduação para local distante da graduação;
— Aquisição de prédios sucateados sem consultar as universidades envolvidas;
— Consulta à comunidade sobre alterações no Estatuto da UFPel;
— Hospital Veterinário em condições inadequadas;
— Espaços inadequados a portadores de necessidades especiais;
— Cada do Estudante em péssimas condições elétricas e hidráulicas;
— Bibliotecas desatualizadas e com pouco horários de funcionamento;
— Ginásios da ESEF em condições inadequadas;
— Ausência de linha de transporte que integra a Universidade;
— Transporte ao campus de modo insatisfatório;
— Relação de imóveis alugados pela Universidade;
— Destino dos prédios sucateados comprados e gastos com reformas;
— Deficiência orçamentária das Unidades.

Informe do camarada Helder, do Juntos! de Pelotas, sobre a luta na UFPEL
Companheiros,

Escrevo para informar que a reitoria da UFPel acaba de ser ocupada. As pautas são estruturais (o curso de odontologia, por exemplo, está em greve há mais de duas semanas) e os estudantes esperam uma reunião com o reitor para discutir soluções. A reitoria fica ocupada até que essa reunião ocorra. Após, haverá assembléia do movimento para discutir os passos da mobilização. A ocupação é dirigida pelo DCE-UFPel.
Por enquanto é isso, em breve encaminhamos um informe mais completo.
Saudações!Helder Porto Oliveira

“Para os revolucionários romântico de ultra-esquerda, a dialética é um elemento complicador utilizado por intelectuais pedantes, um método que desmoraliza as fantasias irracionalistas, desmascaram o voluntarismo e exige que as mediações do real sejam respeitadas pela ação revolucionária.” Leandro Konder

 

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017