Professores em luta no Ceará!

30/ago/2011, 17h09

João Berkson da Rocha Araujo*

No dia 1 de agosto foi deflagrada uma greve geral em toda a rede de ensino estadual do Ceará contra o velho problema de defasagem salarial que aflige professores do Brasil inteiro. A greve iniciou-se após o Governador Cid Gomes (PSB) enviar uma tabela para a Assembléia Legislativa do Ceará com mudanças no plano de carreiras dos professores de maneira unilateral, à revelia da mesa de negociações que era mantida com o sindicato e prejudicando cerca de 80% dos docentes, segundo o APEOC, sindicato dos professores do Ceará.

Porém o que mais chama a atenção a esta greve não foi a greve em si, mas o desenrolar dos acontecimentos. Se já não bastasse o ridículo papel que o Governador prestou ao entrar com ação de inconstitucionalidade contra o piso salarial do magistério, após o inicio da greve fechou todos os canais de comunicação, afirmando que “não negocia com grevistas”. Além deste ato que mostra todo o caráter autoritário do nosso aclamado governador, no último dia 22 de agosto em uma inauguração na cidade de Camocim, após ser abordado por uma comissão do sindicato, sem saber que estava sendo gravado, acabou dizendo que por ele “nem carreira existiria”.

Se vocês já chegaram a este ponto revoltados com o descaso do Governador para com os profissionais da educação e não suportam ouvir disparates de governantes absolutistas, sugiro que para de ler aqui. Pois em um evento em Natal após o inicio da greve Cid Gomes falou que: ”Quem quer dar aula faz isso por gosto, e não pelo salário. Se quer ganhar melhor, pede demissão e vai para o ensino privado”, é isso mesmo pessoal, vocês não estão sonhando e nem leram errado, ele disse isso mesmo. Na inútil tentativa de jogar o povo contra os professores apelando para a passionalidade da população e a velha lenda de que professores não são profissionais e sim “seres especiais que devem atuar pelo amor à camisa”, Cid Gomes conseguiu apenas mobilizar ainda mais os professores e levar a população para o lado dos professores combativos.

Depois de tudo isso ele ainda arranjou tempo (pra não perder o costume) de enviar um pedido de ilegalidade para acabar com a greve dos professores do Ceará. Mal sabe ele que a greve, após todas estas afirmações esdrúxulas, não é só dos professores, mas sim de um estado inteiro que se solidariza com a precária situação dos docentes.

Para se ter uma idéia da mobilização em que os professores e a população estão, após a declaração sobre o ensinar por gosto que ele deu em Natal, foram criadas inúmeras campanhas na internet com o tema “Cid doe seu salário e governe por amor”, facebook, twitter, Orkut, e-mail, uma movimentação geral, de milhares de pessoas em defesa aos professores e contra o ditatorial governo Cid Gomes, é praticamente impossível você ver nas ruas quem não saiba das polêmicas declarações do governador e é mais difícil ainda você ver alguém que não apóie os nossos professores e suas lutas.

Passeatas, caminhadas, mobilizações, apoio dos estudantes, do povo, são a grande marca desta greve que parece ser uma das mais importantes dos últimos anos, diante disso não é digno dar atenção nem sequer ao entreguismo da Assembléia Legislativa e aos núcleos gestores de muitos colégios que estão fazendo assédio moral com os professores em greve na tentativa em vão de enfraquecer o movimento.

Fico por aqui, porém a luta continua, agora com professores, estudantes e a população Juntos! na luta pela educação de qualidade e pela dignidade de nossos professores.

* Estudante de Fisica da UVA (Universidade Estadual do Vale do Acarau) e colaborador do Juntos!

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017