Brasil, um país de tolos

22/set/2011, 20h36

Contribuição enviada por Talyta Vespa (São Paulo)

A desigualdade se tornou tão comum, que não choca mais. Faz parte da rotina, do dia-a-dia, fazendo com que as pessoas ajam como se a situação fosse completamente aceitável. Após as revoluções industriais, o mundo sofreu uma enorme influência do capitalismo em sua política econômica, aonde tudo é baseado no lucro. Aonde a exploração é absurda. Um capitalismo que faz com que a sociedade seja cada vez mais egoísta e, conseqüentemente, alienada, por se satisfazer com a sua zona de conforto, se fechando cada vez mais e priorizando seu próprio bem-estar. Qual seria a solução para isso tudo? O socialismo? Será que o Brasil tem capacidade mental o suficiente para adotar um sistema socialista? Um país que sofre com uma banalidade imensa, aonde os jovens procuram conforto nas drogas e no crime. Jovens totalmente desprivilegiados, não somente de poder aquisitivo, mas de carinho, de atenção e de amor. Como fazê-los entender que esse não é o melhor caminho?

Qual é, então? Um país que combate violência com violência, isolando criminosos em celas, como animais indomáveis. Que ensina crianças a cantar “pátria amada, Brasil” sem a pretensão de que saibam o significado dessa frase. Crianças nascem com um ideal, que se questionado, são mal-vistas pela sociedade. Queria eu ser mal vista por uma sociedade hipócrita como essa! Uma sociedade teórica, que leva consigo uma política de “igualdade de direitos” é a mesma sociedade que anda nas ruas em dias invernosos esbanjando luxo com seus casacos de pele, encontrando inúmeros moradores de rua pelo caminho, sem ao menos um cobertor para se proteger do frio. Ainda se julgam “sociedade humana, justa e fraterna”. Qualquer pessoa com um pouco, um pouquinho que seja, de humanidade não fecharia os olhos para tantas injustiças, não se esconderia atrás de seus bens materiais. Pelo contrário, se mostraria cada vez mais presente para lutar contra tanta injustiça, con tra tanta mediocridade. Uma sociedade que se diz Cristã. Mas quem é Deus? Deus privilegia uns e outros não? Culpar um dogma é a melhor saída dos fracos. A melhor saída para pessoas covardes que têm medo de assumir suas atitudes inaceitáveis, que se dizem beatos, com medo do julgamento. Mas não um julgamento social, um julgamento espiritual. É por isso que vivemos de excessões. Seja uma excessão, mostre que podemos sim mudar essa realidade.