Acampadas Juntos DF: consolidando mais uma frente de jovens indignados na luta por outro futuro!

29/fev/2012, 17h15

Neste final de semana, 25 e 26 de fevereiro, aconteceu a acampadas do Juntos em Brasília. Para além de ser um momento de reflexão sobre os infindáveis aprendizados que o ano de 2011 nos ofereceu, também debatemos sobre as tarefas que a realidade nos impõe diariamente, com uma crise mundial que arrocha trabalhadores de todo o mundo e o papel da juventude no protagonismo das várias manifestações pelo planeta.

No primeiro dia, debatemos a conjuntura internacional, com um paralelo sobre a crise que assola, sobretudo, a Europa, mas que já exerce influencia sobre outros países, como o Brasil. Com a rica contribuição do camarada Rodrigo Ávila, economista que foi um dos auditores da dívida no Equador e participante da auditoria cidadã da dívida no Brasil, pudemos perceber como a mão ‘visível’ do estado a todo o momento intervém nas crises para salvar os capitalistas. Pudemos compreender, ainda mais claramente, o poder que o estado tem em continuar com esse sistema podre que mata milhares todos os dias e que apenas distribui miséria, desemprego e fome a todos! Enrique Morales, camarada de Brasília, pode nos falar um pouco sobre o ponto político do tema. Foi inevitável não nos referenciarmos em Marx, que há tanto tempo já nos explicava tão bem sobre as mazelas do sistema capitalista. Enfim, tivemos renovado em nossas mentes a necessidade de uma alternativa de esquerda para sociedade!

Para o segundo o dia, pudemos reafirmar o Juntos! como alternativa à juventude indignada, um movimento de expressão da conjuntura internacional e que dá a oportunidade de a juventude brasileira se organizar para lutarmos juntos por educação de qualidade, contra a corrupção, enfim, de lutarmos por outro futuro! Contamos ainda com a participação da camarada Amanda, do Juntos! SP, estudante da USP, que pôde contribuir ainda mais com o debate a partir das experiências do movimento em São Paulo e a construção da juventude no movimento estudantil.

Por fim, debatemos o ponto ambiental, donde tiramos um calendário de atividades a ser organizado pela juventude de Brasília em conjunto com todos os jovens do Brasil. Discutir meio ambiente hoje e quais os impactos do sistema capitalista no mundo, mais que um dever, torna-se uma necessidade, afinal, o futuro do planeta está em risco. Temos que nos movimentar e fazer alguma coisa para que essa situação se reverta. Reafirmamos a necessidade de continuarmos nos formando e organizando a juventude estudantil e popular em torno dessa pauta visto os grandes eventos que acontecerão no país brevemente, como o Rio+20 e Cúpula dos povos. Além disso, em Brasília temos o problema real e urgente do Santuário dos Pajés, onde uma comunidade indígena aos poucos vem sendo expulsa da terra que ocupam a tantos anos devido à sede de dinheiro das grandes empreiteiras no DF. Mais um impacto no cerrado, que vem sendo continuamente destruído.

Muitas tarefas temos pela frente e com uma juventude consciente do seu papel e de suas responsabilidades! Juntos Brasília, presente!