Vitória da chapa “Não vou me adaptar” para o DCE da USP está próxima!

29/mar/2012, 21h04

O Juntos, conjuntamente com os demais coletivos que assinam esta carta e dezenas de estudantes independentes, construiram a chapa Não Vou me Adaptar para disputar as eleições do Diretório Central dos Estudantes da USP. Tal chapa é a provável vitoriosa do processo eleitoral que se encerra hoje. Com um quórum histórico de cerca de 10 mil votos, os estudantes estão dando o seu recado ao reitor João Grandino Rodas, ao governo do Estado e aos setores conservadores desta universidade, que por mais um ano tentaram atrelar nossa entidade histórica ao seu projeto privatista. A confirmação desta vitória será um importante feito para o movimento estudantil brasileiro e para todos os jovens que lutam em suas universidades e escolas por educação verdadeiramente pública e de qualidade. Na semana onde relembramos mais uma vez a morte de Edson Luis, estudante secundarista morto pela ditadura militar, o movimento estudantil da USP faz jus à memória de todos aqueles jovens que morreram lutando por democracia real e por um futuro diferente.

Juntos gritaremos em alto e bom som, os estudantes da USP não vão se adaptar!

Na USP, os estudantes já decidiram: Rodas e a Reação serão derrotados!

Nos últimos meses, o movimento estudantil brasileiro acompanhou com muita atenção os acontecimentos na maior universidade do país. A política do governo tucano de privatização e repressão ao movimento social aprofundou-se na gestão do reitor João Grandino Rodas. Com propostas de fechamento de cursos e corte de vagas, Rodas revelou sua política elitista. Gastando 240 milhões de reais em obras de interesse duvidoso, Rodas demonstrou que a prioridade de sua gestão não é a educação de qualidade, mas interesses de outra ordem. Com prisões, perseguição e presença de militares para reprimir o movimento social na universidade, Rodas deixou claro que não aceitaria qualquer voz crítica e dissonante.

Na eleição para o DCE-USP, organizou-se um setor que pretendia ser a “secretaria estudantil” de Rodas. Propondo uma reação à luta dos estudantes e à organização de nossa entidade, pretendiam convencer os estudantes de que eram um grupo “apartidário”, disposto a defender os “interesses estudantis”. Logo, porém, sua máscara caiu. Os vínculos da chapa Reação com o PSDB e outros partidos da velha e corrupta política brasileira apareceram. No meio da eleição, vários membros desta chapa anunciaram sua ruptura por se considerarem manipulados por interesses externos e busca por privilégios individuais por parte da cúpula da chapa.

O fundamental, no entanto, foi a determinação dos estudantes da USP em lutar por democracia na universidade e pela defesa do DCE como um patrimônio do movimento! A política de Rodas será derrotada na eleição para o DCE-Livre da USP! Com uma votação recorde, os estudantes da USP estão dando um recado robusto para o governo estadual e a reitoria: não vão se adaptar à falta de democracia na universidade! Temos muita felicidade em ser parte ativa desse processo e pela construção, em unidade, de uma ampla campanha com milhares de estudantes. Lamentamos que esta não tenha sido a postura de outros setores do movimento estudantil, que optaram por uma irresponsável política de autoconstrução num momento como esse.

A robusta derrota que estamos impondo à direita na eleição para o DCE-USP sem dúvida terá um impacto importante para o conjunto do movimento estudantil brasileiro. Esperamos que esta seja uma vitória de todas e todos os lutadores do Brasil: na USP, na UFRGS, na UFMG ou na UnB, não vamos nos adaptar!

Juntos!, ANEL, Rompendo Amarras [Domínio Público e Barricadas Abrem Caminhos]