Aos estudantes da PUC Minas

10/abr/2012, 00h13

*Laila Resende

Os últimos acontecimentos ocorridos na PUC Minas vem a salientar que hoje que os estudantes encontram-se em crise com a instituição.
As mobilizações eclodiram na PUC MG unidade São Gabriel, quando ainda em dezembro, período de férias, um grupo de estudantes indignados com o reajuste de quase 10% em todos os cursos e em todos os campus, se reuniram para pensar em ações que pudessem impedir que atitude procedesse.
Inicialmente foi feita uma petição on line onde milhares de assinaturas foram recolhidas e posteriormente ocorreram uma série de sucessivos atos tendo como expoente o que se deu na unidade Coração Eucarístico que reuniu em torno de 4 mil estudantes.
Todas essas mobilizações culminou na retirada de uma comissão de alunos do São Gabriel para que dialogassem com a reitoria a cerca de tal aumento nas mensalidades além de, questões secundárias que influenciam na qualidade do ensino.
Paralelo ao que acontecia no São Gabriel, unidades de Arcos, Serro e Guanhães reivindicavam explicações da PUC MG sobre o burburinho a cerca do fechamento de tais unidades. Foram feitos também nestas alguns atos no sentido de pressionar aos representantes da instituição a dialogarem com o alunos.
Nos último meses, representantes do campus São Gabriel juntamente com os DCE’s de outras unidades tem se reunido para discutir e negociar com a reitoria sobre o aumento de 9,8%, contudo, a reitoria até o momento tem sido taxativa ao dizer que este valor não será revogado.
O que os estudantes precisam saber, é que essas reuniões marcadas pela reitoria tem sido na verdade um movimento da mesma no sentido de arrefecer o movimento que tem causado grande incomodo e servindo de exemplo as outras universidades pagas da país,
A imposição de que a reitoria iria dialogar apenas com representantes dos DCE’s ( salvo o São Gabriel que encontra-se em processo de reestruturação ) e não por uma comissão de alunos retirados em assembléia, fere os direitos do movimento estudantil que se caracteriza como um movimento autónomo.
O DCE Voz dos Estudantes III ( Coração Eucarístico ) tem se mostrado a todo instante contra as mobilizações, recusando as propostas apresentadas em reuniões e chegando ao máximo de fazer uso de palavras de baixo calão no último ato desencadeando uma baderna generalizada e colocando estudantes contra estudantes. Dessa forma, entendemos que o DCE Voz dos Estudantes III, elegida pela reitoria como representante dos estudantes e portanto, estarem eles a frente das negociações referente ao aumento das mensalidades, não nos representa.

Algumas poucas conquistas já surgiram, o aumento do número de bolsas institucionais e o valor pago aos estudantes referentes a bolsas de extensão, mas ainda não são suficientes.
É passada a hora de nos unirmos em prol de um ensino superior de qualidade e acessível. Graças as mazelas de um sistema de governo excludente somos obrigados a pagar pela educação, algo ao qual temos o direito constitucionalmente. E já que é assim que seja ao menos mensalidades condizentes a realidade econômica dos estudantes.
E dessa forma, convocamos a todos e a todas a continuarem conosco nessa luta principalmente no que tange ao aumento das mensalidades, cerne da questão.

* Laila é estudante de Psicologia, PUC Minas unidade São Gabriel, gestora do Diretório Acadêmico Maria de Fátima Lobo Boschi, e militante do Juntos! BH.

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017