Todos à Caminhada Cultural, em defesa da Cidade Baixa!

14/jun/2012, 20h23

*Fernanda Melchionna e Raquel Matos 

A Cidade Baixa, nosso bairro cultural e boêmio em Porto Alegre, vem sendo atacada desde o final do ano passado. Bares e casas noturnas foram fechados de forma arbitrária pela prefeitura, com ações desrespeitosas aos frequentadores e proprietários, inclusive da Brigada Militar dentro dos estabelecimentos. Como se curtir a noite tivesse virado crime!

Essa é uma ação deliberada da prefeitura para acabar com um dos poucos bairros alegres da cidade. Foi assim com a Av. Osvaldo Aranha e com a rua Barros Casal, bairros que, infelizmente, acabaram com a vida noturna depois de tantos ataques das prefeituras e por falta de resistência e mobilização da cidade. Quem não lembra do saudoso Bar do João, do Lola…

Além disso, sabemos dos enormes interesses da especulação imobiliária em construir seus espigões em um bairro tão bem localizado da cidade, somado com a tentativa dos governantes de mudar o pólo cultural para bairros mais elitizados ou mesmo para o Cais Mauá.

Só que na Cidade Baixa a realidade foi outra. Houve contestação contra os “toques de recolher” e os ataques à cultura.

Em 28 de fevereiro deste ano, uma linda Caminhada Cultural foi organizada em defesa da música ao vivo, do trabalho e da cultura. Mais de 600 pessoas participaram de um ato lúdico, cheio de música e poesia. A mobilização conquistou novas regras de funcionamento dos bares, cafés e lancherias na Cidade Baixa. Além disso, derrotamos a proposta elitista de acabar com a música ao vivo nos bares.

Porém, estas novas regras não estão sendo cumpridas. Lugares como o Mr. Dam, patrimônio da juventude de Porto Alegre, entre outros, seguem sendo fechados e multados de forma arbitrária. Dizem para os bares que é proibido música ao vivo, quando no decreto diz justamente o contrário. Um absurdo! A lógica não é regularizar, impedindo que os estabelecimentos possam funcionar de forma transparente e dentro da lei.

Muito está em jogo, para além das festas, da diversão e da cultura. O Bairro onde nasceu o grande Lupicínio Rodrigues pode morrer. E com sua morte podem ser enterrados muitos estabelecimentos e empregos. Não só os músicos sofrem com a falta de trabalho, mas inúmeros garçons, comerciantes, taxistas, pais e mães de família.

Por isso, mais uma vez, não vamos nos calar. O JUNTOS defende uma Cidade Baixa livre e viva! E irá participar da 2ª CAMINHADA CULTURAL EM DEFESA DA MÚSICA, DO TRABALHO E DA CULTURA que está sendo construída pelos músicos e boêmios. Por uma cidade mais alegre, mais cheia de cultura e música, estamos JUNTOS.

É dia 15 de Junho, a partir das 19h. Na rua da República, esq. com Sofia Veloso – Porto Alegre, RS

Confirme a sua presença, aqui!

* Fernanda Melchionna é vereadora de Porto Alegre pelo PSOL e faz parte do JUNTOS. Raquel Matos é publicitária e faz parte do JUNTOS