Juntos por Democracia Real Já na UeVA!

26/jan/2013, 13h25

*Por João Berkson

Ainda está firme em nossa lembrança o dia 15 de outubro de 2011, quando jovens de mais de 900 cidades e quase 100 países do mundo inteiro saíram às ruas para dar um grito por Democracia Real Já. Desta maneira se colocou na pauta das lutas da juventude pelo mundo inteiro a luta por uma democracia de verdade.
Porém não é apenas nos parlamentos burgueses que a pauta da radicalização da democracia entra, ela está presente em praticamente todos os setores da nossa sociedade. E neste retorno às aulas da UeVA observamos a urgência de lutarmos por democracia real em nossa universidade com mais força do que nunca.

Reitoria tenta dar golpe autoritário

O atual reitor Antonio Colaço foi indicado (não tenho coragem de usar a palavra eleição para esta situação) para o cargo por um CONSUNI extremamente antidemocrático e que por sua vez obedece humildemente às ordens do dono da UeVA (Dep. José Teodoro). Ele foi trazido para a universidade exclusivamente para ser o reitor e manter UeVA sobre um comando despótico. Sem nem sequer ser professor efetivo da UeVA já está no cargo de reitor da UeVA há sete anos.
Neste ano o reitor e seu CONSUNI antidemocrático tentam dar mais um golpe na democracia na universidade. Tentam puxar as eleições durante o período de férias para evitar resistência. Promovem um processo eleitoral relâmpago em um período menor de um mês para que seja imposto a vontade da oligarquia que domina a UeVA.
Se já não bastasse a eleição ser indireta, lembrando os anos de ditadura do Brasil, onde apenas os conselheiros (que em sua maioria são indicados pelo próprio reitor) têm direito ao voto, para garantir que a comunidade acadêmica não reaja, a data da eleição foi agendada em período de carnaval, onde a UeVA vai estar esvaziada.

A reitoria não está sozinha, UJS e Cid Gomes lutam ao seu lado

Porém, a luta por democracia não é apenas contra este grupo que domina a reitoria, é também contra o Governando Cid Gomes, que mantém o seu processo de precarização das universidades estaduais cearenses, e se favorece pela ditadura que existe na UeVA.
Além disso ainda temos que lutar contra o autoritarismo da atual gestão do DCE (gerida pela UJS) que se recusa a convocar CEBs (reunião entre CAs e DCE) e ainda por cima boicota aqueles puxados pelos CAs e conselheiros estudantis. Graças a esta prática, onde o DCE se sente autoridade, como dito por um dos seus diretores, o movimento estudantil não consegue ter uma maior articulação.

Democracia Real Já na UeVA!

Mesmo com estes fatores contrários, os estudantes irão lutar para a nossa universidade não fique mais uma vez manchada por um processo eleitoral antidemocrático para a escolha do reitor.
Nós do Juntos, ao lado dos estudantes, professores, CAs e do Movimento Construção Coletiva (que apoiamos) resistiremos a mais este ataque à democracia universitária e convidamos a todas e todos a participarem desta luta.
Se em 2011, jovens de mais de 900 cidades do mundo espalhados por cerca de 100 países fizeram manifestações simultâneas lutando por democracia, chega a hora dos estudantes da UeVA darem o seu grito:  Democracia Real Já na UeVA!

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017