Ato-público reúne 1000 estudantes durante calourada da USP!

28/fev/2013, 21h10

foto (1)Aconteceu ontem, 27/02, a calourada unificada dos estudantes da USP. Como parte da atual gestão do DCE-Livre, o Juntos! foi protagonista da construção.

Recentemente, o Ministério Público de São Paulo entrou com uma denúncia contra 72 estudantes da universidade, presos após a violenta reintegração de posse do prédio da reitoria em 2011, por diversos crimes, entre eles o de formação de quadrilha. Por isso, a calourada desse ano teve, em seu principal momento, a realização de um ato-público contra a criminalização do movimento estudantil e por democracia na USP. Realizado às 19h, o ato foi uma enorme demonstração de força dos estudantes da USP, pressionando a justiça a não receber a denúncia apresentada pela promotora Eliana Passarelli.

Cerca de 1000 estudantes foram ao ato. Nele, estiveram presentes, além de vários professores e trabalhadores da universidade, inúmeros intelectuais, parlamentares, figuras públicas e movimentos sociais de peso. Foi o caso do professor Vladimir Safatle, de Plínio de Arruda Sampaio, dos deputados estaduais Carlos Giannazi (PSOL-SP), Adriano Diogo (PT-SP) e do mandato de Leci Brandão (PCdoB-SP), além do vereador por São Paulo Toninho Vespoli (PSOL-SP). Em especial, esteve também presente a ex-deputada federal Luciana Genro (PSOL-RS), hoje advogada na área dos direitos humanos, manifestando seu apoio aos estudantes da USP. Entre os movimentos sociais e entidades, estiveram presentes, além de DCE, ADUSP, SINTUSP, UNE, ANEL e Oposição de Esquerda da UNE, representantes do assentamento Milton Santos, do sindicato dos metroviários de São Paulo, entre outros.

fotoAo longo de todo dia, inúmeros debates foram realizados na calourada, todos com massiva participação estudantil. No momento das oficinas, o Juntos! organizou a maior delas, com a presença de Carlos Giannazi, para debater a cidade de São Paulo e o aumento das tarifas do ônibus e do metrô. Ao final, um enorme show, com a presença de vários artistas, reuniu cerca de 5000 estudantes.

Para o Juntos!, esse deve ser somente o início de uma forte mobilização por democracia na USP em 2013. Em um ano em que acontecerão eleições para reitor e, ao mesmo tempo, em que o governo do estado apresenta um projeto segregacionista e racista de cotas para a universidade, o PIMESP, muito distante do que reivindicam os movimentos sociais, a mobilização será cada vez mais necessária. E, para isso, é preciso dizer com força: lutar por democracia não é crime! Não vamos admitir a denúncia do Ministério Público contra os estudantes da universidade. Democracia na USP já!

fotoooo,fotofotoo

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017