Belo Horizonte é sacudida por um final de semana de enfrentamento a homofobia

01/out/2013, 13h52

Lucas Maróstica e Matheus Uérlei*

fotoNeste final de semana, em Belo Horizonte, o Juntos Pelo Direito de Amar esteve envolvido na construção de um conjunto de atividades envolvendo a luta contra a homofobia e pela livre expressão sexual, que fizeram parte da programação da “IX Semana BH Sem Homofobia” e da “XVI Parada do Orgulho LGBT”. A Parada, organizada pelo Cellos-MG, Centro de Luta Pela Livre Orientação Sexual de Minas Gerais e com apoio do Juntos, teve como coordenador-geral nosso combativo militante Mateus Uérlei.

Na sexta-feira aconteceu o “IX Prêmio Direitos Humanos e Cidadania LGBT de BH”. Premiação em homenagem a personalidades militantes que travam a luta contra a homofobia em seu dia-a-dia. Na abertura, Mateus fez menção a Jean Wyllys, deputado federal pelo PSOL-RJ, que não pode estar presente por conta de sua agenda militante, mas que seria um dos premiados por sua luta incansável pelos direitos LGBTs na Câmara Federal e ao lado dos movimentos sociais. No sábado foi a vez do Juntos
foto (1)No domingo, a Praça da Estação recebeu milhares de pessoas, que mesmo sob a chuva, protagonizaram um grande dia de muita festa e muita luta no centro da capital mineira. Mateus abriu a Parada saudando a comunidade LGBT e trazendo o debate que envolvia a temática deste ano: “Estado Laico: sua religião não é nossa lei”, lembrando do veto ao kit anti-homofobia feito por Dilma por conta da pressão de fundamentalistas religiosos. Em sua intervenção, Lucas falou das lutas protagonizadas pela juventude durante as Jornadas de Junho, que colocaram os governantes contra a parede e conquistaram a redução das tarifas de ônibus em diversas capitais, além de ter barrado o projeto de “cura gay”, proposto pela bancada evangélica e Marcos Feliciano na Câmara Federal. Lembrou também que o Brasil segue liderando o ranking de assassinatos a LGBTs. Ocupar o Viaduto Santa Tereza para realizar uma roda de conversas sobre homofobia e as lutas do Movimento LGBT. A atividade contou com a presença de Lucas Maróstica, Diretor LGBT da UNE pelo Juntos, e Brendon Oliveira, militante do Juntos Pelo Direito de Amar-RJ.

Chegou a hora derrotar o conservadorismo e seus aliados!

A Parada mais uma vez demonstrou a sua importância, na medida em que para muitos LGBTs é o único dia do ano em que se beijam livremente pelas ruas, andam de mãos dadas e demonstram seu afeto em público sem que sejam retaliados por insultos e violência homofóbica. Após enterrar o projeto da “cura gay” e conquistar a aprovação do Casamento Civil Igualitário via Judiciário, o Movimento LGBT precisa avançar em sua organização para dar os próximos passos. Pra isso não devemos medir esforços pra enfrentar o conservadorismo e fazer uma defesa intransigente do Estado Laico. Também precisamos desmascarar as amarras do governo petista, que pela governabilidade rifa nossos direitos e se alia a partidos homofóbicos. Devemos denunciar as falsas promessas feitas por Dilma durante reunião com um setor do Movimento LGBT pós-jornadas de junho. Chega de promessas! Para que cesse o sangue derramado, precisamos imediatamente de políticas e posturas que enfrentem a homofobia. Para isso seguiremos ocupando as ruas desse país com nossas bandeiras coloridas e nosso orgulho LGBT!

*Mateus Uérlei é coordenador-geral da Parada LGBT de BH e Lucas Maróstica é Diretor LGBT da UNE, militantes do Juntos Pelo Direito de Amar