No futebol também se encontra opressão à juventude negra

13/dez/2013, 13h52

* Maria Augusta

        As torcidas organizadas dos times de futebol sofrem uma grande repressão policial, pois os que fazem parte são na maioria jovens negros e pobres, e são nelas que a juventude marginalizada se organiza com o objetivo de obter o acesso ao esporte que é conhecido como uma das principais características da cultura brasileira, mas que na maioria das vezes -e principalmente agora com a Copa chegando- apenas uma minoria privilegiada detém maior e melhor acesso.

Recentemente, um vídeo começou a circular pela internet sendo motivo de piada, onde depois da vitória do time pernambucano, o Sport, os torcedores do time rival, o Santa Cruz, foram, como de costume, abordados por policiais. No vídeo mostra vários torcedores do Santa Cruz com as mãos na cabeça, sendo humilhados e obrigados a cantar o hino do Sport (seu principal rival dentro do estado).

Esse abuso da polícia é contínuo no Recife, principalmente em dias de partida de futebol. Toda essa opressão e humilhação, é o que os deixam mais revoltados. O “vandalismo” nas ruas em dias de jogo, todo quebra-quebra é reflexo do que lhes acontece dentro e fora dos estádios, pois a juventude que é humilhada na entrada e saída dos estádios de futebol, é a mesma que sofre diariamente com os abusos violentos de uma polícia militarizada. Sem dúvida, aqueles jovens que foram humilhados no vídeo, saíram dali com mais raiva e o único modo que eles conhecem de canalizar essa raiva é destruindo as coisas ou fortalecendo as brigas e rivalidades entre as torcidas.

Apesar da câmera da SDS (secretaria de defesa social) ter filmado essa ação e ter encaminhado para corregedoria geral, essas situações não tem repercussão na mídia para que as pessoas tomem conhecimento de como a polícia age com os torcedores. E quando tem é apenas criminalizando as torcidas organizadas. Não é a toa que muitos não vão aos estádios em dia de jogo, porque tem medo das torcidas organizadas. O que nos é mostrado na TV, é a cultura ao medo, ao terror, e não só é cultuado isso na TV, como também no dia-a-dia pela polícia de Eduardo Campos, polícia essa que durante as Jornadas de Junho reprimiu estudantes e trabalhadores que foram ás ruas colocar em cheque toda a pseudodemocracia propagandeada nacionalmente pelo governo de Pernambuco.

Seguiremos Juntos! com a juventude marginalizada que se organiza nas torcidas, e iremos de novo exigir a DESMILITARIZAÇÃO DA POLÍCIA JÁ!!!

 

* Magu é secundarista do Juntos! Pernambuco

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017