Lutar não é crime! Todo apoio à ocupação Willian Rosa!

08/maio/2014, 10h25

*Por Juntos BH

Na última quarta-feira, a ocupação Willian Rosa, localizada em Contagem, foi vítima de mais uma ação arbitrária e injustificável da Polícia Militar. Moradores da ocupação estavam reunidos em Assembleia, com o objetivo de alertar os moradores para os riscos da meningite – pois duas crianças faleceram em decorrência da doença – e debatendo outros assuntos, quando foram atacados pela polícia. Os moradores se reuniam no meio da rua, como é de costume, já que muitas pessoas participavam da reunião, até que a polícia atacou os moradores com balas de borracha.

Dez pessoas ficaram feridas e dois companheiros da ocupação foram presos, entre eles, Geraldo – coordenador da Willian Rosa. O outro companheiro preso ainda não tinha sido identificado e a PM não queria revelar seu destino. Justo no ano em que lamentamos os 50 anos do Golpe Militar, temos que nos deparar com ações da Polícia que nos remetem aos tempos sombrios da Ditadura. É por isso que lutamos pela imediata desmilitarização da PM, tendo em vista que é uma prática recorrente prender lutadores e lutadores, e não revelar o destino dos mesmos.

O Juntos BH repudia a ação covarde da Polícia Militar. Ano passado, essa mesma ocupação, foi atacada pela polícia e mais de 100 pessoas ficaram feridas. Não aceitamos a criminalização de trabalhadores, pessoas que estão lutando por um direito constitucional. Em um cenário que os aluguéis que estão cada vez mais caros e muitas terras e moradias não cumprem com sua função social, em decorrência do aumento da especulação imobiliária, é dever do Estado garantir moradia para essas famílias.

Nós, do Juntos, estamos ombro a ombro com esses lutadores e tantos outros que ocupam terras pelo Brasil afora. Enquanto morar for um privilégio, ocupar é um direito. Exigimos a imediata libertação dos presos, pois lutar não é crime. Exigimos também um posicionamento imediato do prefeito de Contagem, Carlim Moura (PC do B), e do Governador de Minas e responsável pela PM, Antônio Anastasia (PSDB). Essa ação não é um caso isolado e está inserida em ataques sistemáticos as ocupações da região metropolitana da capital. Não aceitaremos a criminalização da pobreza e da luta!