Rede Emancipa de Cursinhos Populares e a luta pelo Acesso

14/ago/2011, 02h43

O movimento estudantil dentro e fora dos muros da universidade

Cremos que o movimento estudantil deve estar em todos os lugares. Nas escolas, cursinhos, e não apenas nas universidades, pois ampliar e fortalecer este movimentos é fundamental na defesa da educação emancipadora que queremos.

Por isso, mais do que as aulas preparatórias para o vestibular, a Rede Emancipa engaja-se nas lutas cotidianas em defesa da democratização da universidade: lutamos por cotas e apresentamos, em parceria com o deputado Carlos Giannazi, um projeto de lei que prevê cotas sociais e étnicas nas universidades estaduais paulistas. Em 2009 e 2010 fomos pioneiros na luta dos ENEMganados, exigindo respeito dos Estados para com os estudantes, contra os escândalos no exame do ENEM. Protagonizamos lutas pelo não fechamento de escolas estaduais e cursos técnicos. Marcamos presença nas lutas sociais como a Marcha da Liberdade, a parada orgulho gay, a defesa do meio ambiente e o rechaço popular aos recorrentes escândalos de corrupção.

Também realizamos atividades pedagógicas diferenciadas, como o “Dia na USP”, quando os estudantes dos cursinhos ocupam a universidade por um dia, e neste espaço podem discutir as barreiras que tentam nos impedir de chegar lá.

Para nós, a prática política é parte intrinseca do processo educativo, e temos convicção de que as barreiras que impedem os jovens de chegarem à universidade não serão derrubadas apenas pela aprovação no vestibular, mas também pela pressão popular e pela luta, que construímos cotidianamente em nossos cursinhos.