Greve na Universidade Federal de Rondônia!

26/set/2011, 12h27

Segue abaixo a carta do Comando de Greve 

CARTA ABERTA À SOCIEDADE
Porto Velho, 15 de setembro de 2011.

O Comando Geral de Greve dos estudantes da Universidade Federal de Rondônia (UNIR) vem, através desta nota, tornar público à sociedade rondoniense e de todo o país que na tarde de quarta-feira(14/09), em Assembleia Geral realizada no campus de Porto Velho, centenas de estudantes decidiram entrar em greve por tempo indeterminado, em decorrência do caos instalado na Universidade.

Na quinta-feira(15/09) os estudantes do campus de Rolim de Moura, em Assembleia Geral, também aderiram a greve.

A precariedade da estrutura física e a falta de recursos humanos (técnicos e professores) da UNIR pioraram cada vez mais desde que a administração superior adotou no ano de 2007 o Decreto 6.096/07 do Governo Federal, mais conhecido como REUNI que ampliou o número de vagas nos cursos existentes e criou novos cursos sem qualquer ampliação e melhoria na infraestrutura necessária à qualidade da formação.

Em 2008, estudantes e professores pararam suas atividades pelos mesmos motivos e pela garantia da participação efetiva dos segmentos nas decisões dos rumos da Universidade e ao fim da greve foi acordado um TAC (termo de ajustamento de conduta) assinado pelo reitor Januário Amaral que não foi cumprido em sua totalidade e vem resultando num caos ainda maior que naquela época.

Isto é evidente ao tornar público parte das reivindicações levantadas pelos estudantes na Assembleia Geral que são: contratação de docentes e técnicos, a construção do Restaurante Universitário, construção e manutenção de laboratórios e o Hospital Universitário que há alguns anos gera expectativa entre os estudantes da área da saúde e na própria sociedade. Até mesmo questões de primeira necessidade estão descomprometidas como a limpeza dos campi, finalização de outras construções já iniciadas, entre outras que são de extrema urgência como salas de aula, além da falta de itens de primeira necessidade (papel higiênico, sabonete), a manutenção e compra de bebedouros, ar condicionados.

Os acadêmicos de todos os cursos e campi estão elaborando uma pauta de reivindicação, a fim de expor toda triste realidade em que se encontra a nossa Universidade e buscar, diante dos órgãos competentes, a resolução imediata dos problemas. Espera-se com essa mobilização contínua e combativa dos estudantes unidos aos professores a concretização do que foi prometido outrora e do que se exige no atual momento.

Assim sendo, exigimos que o Ministério da Educação, e Governo Federal tomem as medidas cabíveis para a resolução destes problemas.

É greve geral contra a “Reforma” Universitária!
Por uma Universidade pública, gratuita e de qualidade!
Comando Geral de Greve da UNIR