Ocupar e Resistir: 12 dias que mudaram o Mov. Estudantil da UFSM

19/set/2011, 15h29

por Junt@s! Santa Maria

“[…] já pisamos no chão, já saímos das catacumbas e isso é importante.
Que bem fez o ar fresco.”
(Nahuel Moreno)

Depois de 12 dias de ocupação ao prédio da reitoria da UFSM, sendo que três desses, com as portas trancadas, segunda dia 12, estudantes e reitoria chegaram a um consenso em relação à pauta de reivindicações, e assim ocorreu a desocupação. A ocupação, que, pela sua duração, já é considerada a maior de todos os 50 anos da Universidade, foi marcada por muito vai-e-vem por parte dos estudantes e da Reitoria.

A Ocupação Iniciada no dia 1º de setembro, e impulsionada por manifestações dos cursos principalmente do CCS (Terapia Ocupacional e Medicina), foi a demonstração que o movimento estudantil combativo resiste dentro da UFSM.

A precarização da educação tanto no modelo REUNI de expansão sem qualidade, quanto na manutenção de cursos “tradicionais” foram o estopim para o movimento estudantil tomar para si a universidade e a reitoria. No curso de Medicina, por exemplo, há uma disciplina sem professor há quatro anos e os estudantes recebem notas aleatórias para aprovação na mesma. O curso criado via REUNI de Terapia Ocupacional, não tem nem mesmo salas de aula e material/equipamento necessários para serem ministradas as aulas, deixando aos estudantes sem formação qualificada.

Durante esses dias de intensa mobilização, aonde chegamos a reunir 600 estudantes em ato na OCUPAÇÃO da Reitoria. A Oposição de Esquerda teve papel fundamental para manter a mobilização e a agitação política. Já que o DCE-UFSM, comandado há vários anos pela Reconquistar a UNE, encontra-se burocratizado e desmobilizado.

A auto-organização do movimento de ocupação foi fundamental no processo, nos dividíamos em comissões de segurança, limpeza, alimentação, comunicação, ética, alvorada, mobilização e comissão de negociação. Todas elas tiradas em assembleias gerais.

Assembleia após assembleia, após debates acirrados, o movimento ia aglutinando mais gente e politizando a estudantada sobre a importância da ocupação. Infelizmente o DCE da UFSM/Reconquistar a UNE em uma atitude, no mínimo, questionável. Convocou uma assembleia da ocupação sem a presença dos cursos impulsionadores do processo (terapia Ocupacional e Medicina), ou seja, com os principais atores políticos da ocupação. Além disso, o DCE se utilizou de um discurso despolitizado e intimidador, e com isso conseguiu a reabertura dos trabalhos da reitoria. Na nossa avaliação isso levou a uma desmobilização geral, visto que, no mesmo dia que a ocupação reuniu 600 pessoas em um abraço a reitoria, não restaram 50 ocupantes no período noturno.

Mesmo sendo um processo de método cujo qual não concordávamos permanecemos na ocupação até a vitória. Essa vitória não tem a cara de um único grupo politico, e sim do conjunto dos estudantes. Entrou para a história do movimento estudantil da UFSM, como já diz a canção: ‘nos livros de história seremos a memória dos dias que virão’.

E em meio a toda essa agitação politica o JUNTOS! se consolidou não só como uma força politica atuante dentro da UFSM. Mas, como uma alternativa combativa ao velho e burocrático movimento estudantil. Ficou evidente que com o JUNTOS!, passamos do lutar para os estudantes, para lutar junto com os Estudantes!

Confira as conquistas:

RU
– Após a greve dos técnicos administrativos, será oferecido inicialmente 100 cafés da manhã e 150 jantas para estudantes que não tem o Benefício Sócio-Econômico. As refeições deverão ser agendadas pelo Portal do Aluno, não há limite de agendamentos, dependendo da demanda o número de refeições poderá ser ampliado. Uma comissão paritária irá acompanhar e estudar situações futuras;
– Em até 10 dias será feita outra saída para a entrega de pratos, copos e talheres no RU da União Universitária, com o objetivo de diminuir as filas na saída;

Casas do Estudante e Benefício Sócio-Econômico
– Ativação imediata do Conselho de Moradia;
– Estudo para mapear pontos cegos e adequação de equipamento de internet nas CEUs em 30 dias;
– Comprometimento de atender a demanda para a colocação de grades nas portas dos apartamentos da CEUs 2 e 3 (após aprovação em assembleia). Comprometimento de colocar as grades em todas as portas ao longo de 2011 e 2012;
– Devolução da sala do bloco 13 da CEU 2 aos moradores;
– Abertura de licitação para construção de banheiros masculino, feminino e para pessoas com necessidades especiais na União, no primeiro semestre de 2012;

Bolsistas
– Reajuste de 12% nas Bolsas Trabalho para o início de 2012;
– Comissão Paritária para propor uma resolução atualizada sobre as atividades dos bolsistas;
– Serão concedidas 7 bolsas para a Direção da CEU 2, mediante apresentação de um Plano de Trabalho;

CESNORS
– Para 2011, serão destinadas 50 bolsas permanência, no valor de 300 reais;
– Após 10 dias da entrega do prédio e finda a greve dos servidores, será feito o cadastro e seleção dos estudantes para as vagas de moradia com critérios similares aos de Santa Maria;
– Reitoria e Direção do CESNORS encaminharão nota às prefeituras de Palmeira das Missões e Frederico Westphalen manifestando sobre a iluminação e construção de trevo/rótula. Acesso ao RU do CAFW aos estudantes do CESNORS será melhorado;
– Licitação para iluminação interna do campus de Frederico Westphalen está em andamento;
– Será solicitado mais um ponto de xerox em Frederico Westphalen e Palmeira das Missões;
CAFW
– 2,1 milhões de reais para obras e reformas no alojamento do CAFW, esforço para que a licitação seja feita em 2011, já que há dinheiro disponível;
– Encaminhamento de Moradia Feminina no CAFW;

Bibliotecas
– Encaminhamento às Direções do Centro de pedidos de estudos para a ampliação do horário das Bibliotecas Setoriais;
– Avaliação, após a greve, para a possibilidade de ampliação do horário noturno e nos finais de semana da Biblioteca Central;
– Sala de acesso digital e mesas de estudos, sete dias por semana e 24 horas por dia, no espaço da Caixa Econômica Federal, junto à Biblioteca Central, imediatamente após a desocupação pela Caixa.

Pautas Gerais
– Revisão da Resolução 020/09, reivindicação importantíssima para cursos como a Terapia Ocupacional em relação a contratação de professores, a ser encaminhado ao CEPE até a Reunião do dia 16/09/2011;
– Quanto à UBS-Escola, encaminhamento de discussão sobre junto à Area da Saúde da UFSM, com participação paritária da comunidade. Discussão após a greve;
– Garantia de não vender o Prédio da CEU 1/DCE e da Antiga Reitoria. Antiga Reitoria será gradativamente destinada a projetos comunitários e de extensão;
– Reitoria deverá encaminhar deliberações após a greve dos servidores. Ampliação da discussão seguindo o aprovado no PDI sobre reforma acadêmico-administrativo;
– Creche Ipê Amarelo está com pedido de institucionalização protocolado no MEC;
– Disponibilizar via Portal UFSM os contratos e processos licitatórios a partir de 2012;

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017