JUNTOS! Contra a Reforma do Código Florestal, Veta Dilma!

09/mar/2012, 18h20

          *Por Enilton Rodrigues

           Militantes do JUNTOS!, pescadores artesanais, movimentos sociais do campo e da cidade e ambientalistas fizeram um grande ato em Brasília nesta quarta feira 07 de março de 2012 contra a reforma do código florestal brasileiro, que representa uma grande retrocesso  na legislação ambiental brasileira. O ato iniciou na catedral com parada em frente ao Ministério do Meio Ambiente e da Agricultura e em frente  Congresso Nacional.

         Para os pescadores artesanais que participaram do ato com uma grande caravana vinda de mais 16 estados da federação, o grande retrocesso do novo código ruralista está na abertura dada as fazendas de criação de camarão, as carcinicultura, em manguezais, pelo projeto emendado no o Senado os carcinicultores poderão ocupar até 35% das áreas de mangue em todos os biomas e 10% na Amazônia, isso também para atender a ganância dos especuladores imobiliários que querem avançam nos nossos mangues para construir edifícios. O Congresso Nacional com uma grande bancada ruralista e com apoio do governo federal, apesar da resistencia de cientistas (SBPC,ABC)  juristas, agricultura familiar, ambientalistas, e movimentos sociais insiste em aprovar um projeto de lei que é recheado de retrocessos ambiental.

          Este projeto da bancada ruralista e do governo estimula novos desmatamentos, desobriga a recuperação de áreas ilegalmente desmatadas, anistia multas de criminosos, criminaliza quem cumpriu a lei e protegeu as florestas desde do 1965, data do código florestal em vigor, que é uma das melhores legislação ambiental do mundo.

           O ato com mais de duas mil pessoas disse um sonoro não ao retrocesso que representa essa proposta de alteração do código florestal atual, não podemos permitir que a alteração do Código Florestal promova ainda mais desmatamento, destrua ecossistemas e nossas florestas. Nem o texto da câmara nem o do senado serve ao Brasil, os dois são extremamente prejudiciais a nossa biodiversidade. A sociedade civil organizada diz não a este retrocesso e não aceita que  o congresso nacional vira as costas para a sociedade.

            Dilma se comprometeu em vetar propostas que aumentassem o desmatamento e que anistiasse os desmatadores. Assim o movimento social exige o veto da presidente. Veta Dilma!

 

*Enilton Rodrigues- Estudante de Engenharia Florestal-UnB  e militante do Juntos!