Greve dos professores em São Paulo: Jovens educadores em luta!

05/abr/2012, 17h09

* Rodrigo Silva

Os professores e profissionais da rede pública municipal de São Paulo decidiram manter a greve iniciada na segunda-feira (02/04), pelo menos até a próxima negociação que ocorrerá com a prefeitura, no dia 10 de abril.

Com uma assembleia que reuniu mais de 6 mil no centro de São Paulo, a opção por continuar a greve foi quase unânime, passando por cima da vontade da grande maioria da direção do sindicato da categoria, o Sinpeem, e principalmente de Cláudio Fonseca, que foram contrários à greve e também estavam contra a manutenção da mesma.

As pautas que fazem com que o movimento continue e a cada dia se fortaleça são relativas ao salário dos professores, que reivindicam a incorporação do abono, à garantia das férias coletivas, a regulamentação dos adaptados, à livre opção pela JEIF (Jornada Especial Integral de Formação), às melhores condições de trabalho e, investimento na capacitação dos profissionais da rede.

A grande adesão à greve dos professores e o grande número de manifestações que tem sido observadas na maior capital do país, como a “Operação Cracolândia”, as falhas nos trens e no metrô, a situação caótica da recém-inaugurada linha 4-Amarela, a greve no Ceagesp, entre outras, escancaram a má qualidade da administração Kassab. Essa má qualidade, não representa apenas uma má administração, mas também uma opção de governo: um governo voltado única e exclusivamente aos interesses da elite paulistana (opção que não é diferente Brasil afora).

O Juntos! está e continuará presente com seus jovens educadores nestas e em outras lutas!

Jovens educadores Juntos! contra a velha política!

* Rodrigo Silva é professor da rede pública municipal e militante do Juntos! SP

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017