Deflagrada Greve Estudantil na Universidade de Brasília-UnB

27/maio/2012, 20h09

*Enilton Rodrigues

Em uma assembléia geral histórica, que nos lembrou as grandes assembléias de 2008 na ocupação da reitoria, os estudantes da Universidade de Brasília-UnB aprovaram a greve estudantil. Os estudantes indignados com as condições precárias de ensino se somam a legitima greve dos docentes agora deflagrando greve estudantil.
A decisão soberana dos estudantes da UnB mostra que o descaso do governo Dilma(PT/PMDB) com a educação não pode ser tolerada e é insustentável e a greve dos estudantes em apoio a greve dos docentes em luta com tamanha mobilização e organização, evidencia que além da luta por condições mínimas de trabalho, é necessário fazer o enfrentamento com o governo que insiste em descumprir acordo firmados com a categoria, como o feito ano passado com o ANDES-SN.
Hoje já são 45 Instituições Federais de Ensino Superior-IFES em greve que foi chamada pelo Sindicato Nacional dos Docentes do Ensino Superior-ANDES-SN no dia 12 de maio de 2012. Nos próximos dias outras dezenas realizarão suas assembléias e se somarão as Universidades que já estão em greve. Na UnB temos presenciado no dia a dia os efeitos da política de reestruturação do ensino superior do governo Lula/Dilma como a ausência de infraestrutura, total descaso com a assistência estudantil, (o Restaurante Universitária-RU da UnB há quase um mês estar com suas portas fechadas), redução de pesquisa e extensão, prédios inacabados, disciplinas sem professores, salas de aula superlotadas e condições precárias de trabalho dos docentes. Estas são pautas que os estudantes também colocam como sua, além das pautas especifica do movimento estudantil.
Depois de votado a greve estudantil aprovamos também a pauta a ser incorporada na pauta dos docentes como os 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para a educação já, mais investimento para assistência estudantil, paridade nas eleições para reitor da UnB que ocorrerá no segundo semestre de 2012 e interrupção imediato do calendário acadêmico da UnB além de outros pontos.
A educação pública brasileira estar sendo sucateada e se hoje as Instituições Federais de Ensino Superior-IFES estão nessa histórica greve é porque o governo Dilma(PT/PMDB) não tem política de investimento em educação como devia fazer, hoje temos menos de 5% do PIB destinado para a educação enquanto mais de 47% vai para o ralo com o pagamento da ilegítima dívida. Também nos somamos a essa causa legitima por acreditar que essa é uma luta também dos estudantes que mobilizados e organizados teremos nossas pautas incorporadas a greve dos professores. A nossa luta unificou, é estudante e professor em greve na UnB e em muitas outras IFES.

*Enilton Rodrigues é Estudante de Engenharia Florestal e Militante do Juntos!