Contra a Prisão dos Estudantes da Unifesp: lutar não é crime

15/jun/2012, 14h15

Ontem, dia 14/06/2012, vinte e seis estudantes foram presos pela PM no campus Guarulhos da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp-Pimentas).

Vivemos num tempo de inversão de valores. Lutar pela educação pública, gratuita e de qualidade é crime, enquanto o contraventor Carlinhos Cachoeira e seus comparsas estão livres. Esse tempo (e seus senhores) não criminaliza apenas o movimento estudantil. Todo movimento social é duramente reprimido pelas forças do Estado em suas manifestações (podemos ver isso claramente com os últimos acontecimentos como o caso do Pinheirinho em janeiro passado e mais recentemente a luta por moradia no centro de São Paulo).

Após realizar uma assembleia intercampi, os estudantes do campus Guarulhos realizaram um ato e voltaram ao campus entoando palavras de ordem, sendo uma delas o “Fora Marcos Cezar” (diretor acadêmico do campus). Os manifestantes foram surpreendidos com a chegada da Polícia Militar. Após entoar a palavra de ordem “Fora PM” a polícia prendeu dois estudantes e começou a reprimir os manifestantes com balas de borracha e bombas. Vários estudantes ficaram feridos gravemente, houve derramamento de sangue por todo o campus. O professor Luiz Leduíno, Pró-Reitor de Assuntos Estudantis, disse que “o ocorrido ontem foi um desastre!”, porém, mais desastrosa é a ação da diretoria acadêmica que não senta pra dialogar e sim reprime o movimento!

CONTRA A PRISÃO DOS ESTUDANTES DA UNIFESP! CONTRA A ACUSAÇÃO DE FORMAÇÃO DE QUADRILHA! CONTRA A REPRESSÃO, LUTAMOS JUNTOS!

Veja o momento em que a polícia atacou os estudantes: http://vimeo.com/44081562

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017