Greve Estudantil na FFP/UERJ e de Docentes da UERJ

06/jun/2012, 21h47

*Leandro Fontes

No dia 04 de junho, os estudantes da Faculdade de Formação de Professores – UERJ, em assembleia, decidiram por unanimidade a greve estudantil. A assembleia foi extremamente representativa, lotando a totalidade do auditório central da FFP. Passaram pela assembleia estudantil mais de 300 estudantes. É relevante destacar a presença e participação de parte do corpo de professores da unidade, dialogando a atual conjuntura da UERJ, o indicativo de greve em toda universidade e as demandas comuns da comunidade acadêmica. O centro do debate foi o sucateamento da UERJ, a precariedade dos profissionais da educação, o momento favorável para avançar nas pautas estudantis e docentes, tendo a greve como um poderoso instrumento de luta. Também foi pautada a greve nas Universidades Federais, a greve dos profissionais de educação de São Gonçalo e a possibilidade de greve na rede estadual de educação.

A presidente Dilma fechou os olhos e os ouvidos, nega dar os 10% do PIB para educação e negligencia as reivindicações do movimento nacional de greve nas Universidades Federais. O governador Sergio Cabral, que tratou como bandido os bombeiros e que está enfrentando graves denuncias de envolvimento em esquemas de corrupção, ensaia retirar o triênio dos profissionais da educação.

Chegou a hora de virarmos esse jogo! É preciso unificar o movimento em âmbito estadual e prepararmos uma forte greve geral na educação pública do Estado do Rio de Janeiro. Juntos, poderemos sair vitoriosos dessa batalha.
A RURAL PAROU, A UFRJ PAROU, A UFF PAROU, EDUCAÇÃO DE SÃO GONÇALO PAROU E A FFP PAROU!

Pauta reivindicatória da Greve Estudantil na FFP/UERJ

Construção do bandejão da FFP já;

Creche universitária;

Reajuste e acúmulo de bolsas;

Melhorias na infra-estrutura da FFP;

Ônibus inter-campi;

Xerox dos estudantes. Contra o monopólio dos contratos;

Retorno das atividades culturais na FFP;

Apoio a luta (Greve) dos professores pela Dedicação Exclusiva e reajuste salarial;
Abaixo segue o blog do movimento e vídeos da mobilização estudantil.

www.alunosffpemgreve.blogspot.com

Em assembleia, docentes da UERJ declaram greve

 

 

 

 

 

 

 

 

Ontem(05/06) ocorreu a assembleia dos docentes da UERJ no campus do Maracanã. A assembleia foi uma das mais representativas da história da categoria (298 professores credenciados) e contou com expressiva presença de estudantes, em destaque os campi “afastados” – FEBF e FFP.

O clima político era pró-greve, tendo como debate central, o melhor momento para a deflagração. Uma parte minoritária seguiu defendendo a greve em agosto, enfatizando o prejuízo acadêmico de uma greve no final do semestre e a possibilidade de pouca adesão no mês de julho. Já a maioria dos docentes defendeu a necessidade de greve imediata, tendo como sustentação o momento político favorável, a unificação com o forte movimento de greve nas Universidades Federais e o apoio massivo do movimento estudantil. Depois de um longo debate acalorado foi votada por ampla maioria a greve docente na UERJ.
Encerrada a assembleia da Asduerj, os mais de 400 estudantes presentes realizaram um ato nas ruas do Maracanã em apoio à greve e em protesto contra o governo Sergio Cabral.

As principais reivindicações são:

Dedicação Exclusiva já!; Recomposição salarial imediata de 22%; Retirada da representação do governo do estado no STF contra os triênios; e Regularização da situação trabalhista dos professores substitutos.

Segue alguns videos das mobilizações na UERJ:

 

*Leandro é estudante da FFP/UERJ e militante do Juntos RJ!

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017