Ocupar a Política Por Outro Futuro

08/jul/2012, 20h49

*Dionas Pompeu e Camila Breda

É muito comum estarmos em casa assistindo ao telejornal e darmos de cara com notícias sobre problemas de sistemas de saúde precários, falta de qualidade na educação, baixos salários para profissões de extrema importância social, e o pior de todos: ROUBOS de valores exorbitantes do dinheiro do povo mesmo com todos esses problemas existindo! Aí vem o conformismo. Geralmente pensamos: “Ah! É normal, isso sempre aconteceu… Não tem o que fazer!” e assim permanecemos acomodados em nossas casas, sendo roubados com impostos absurdos, que são depois desviados para fins particulares de alguns políticos.

Indignados que somos, queremos mudanças. Por isso convidamos outros indignados a unir a sua voz a nossa por transformações sociais. As coisas podem ser mudadas sim.

“Nada Deve Parecer Natural. Nada Deve Parecer Impossível de Mudar.” (Bertolt Brecht)

Vários exemplos, históricos e atuais, temos das massas transformadoras. A juventude foi protagonista dos levantes ocorridos desde o final de 2010, levantes estes que derrubaram ditadores, lutaram por educação pública de qualidade, contra a perda de direitos dos trabalhadores, marcharam com as vadias, marcharam pela legalização da maconha, etc. Levantes estes que ajudaram a construir mudanças significativas na vida da população… tudo feito por jovens como nós. O mar da história também se agitou no Brasil. Desde o começo de 2011, movimentos grevistas se deflagraram. Polícia Civil, Militar e Bombeiros no RJ, Polícia Militar na Bahia. Agora acompanhamos a greve nas universidades federais. 56 das 59 universidades e 36 das 38 instituições estão paradas. Vendo os problemas que enfrentamos com os velhos políticos, percebemos a necessidade da juventude crítica e de luta, ocupar a política. É importante dizer que esse é um processo essencial, mas não podemos nos limitar a ele. Devemos continuar ocupando a política, reitorias, ruas e praças por uma democracia real.

Depois da explosão do movimento Occupy Wall Street no final de 2011, outro movimento vem tomando forma na tendência de ocupar: Ocupar a Política.
Estamos em um ano em que as atenções estarão viradas para as eleições municipais. Visto que não seria produtivo ficar fora do debate político, este movimento nasce e vem no sentido de tomar posição e realmente ocupar a política contra os velhos políticos e contra os velhos políticos disfarçados de novos, aliás, imagine que um jovem indignado na política ocuparia o lugar de um político acostumado às regalias desses postos, sem intenção de mudança. Então pense VÁRIOS JOVENS NA POLÍTICA.

Um exemplo que vem se formando é a Primavera Carioca. Para quem não é do Rio de Janeiro, mas de alguma forma pôde acompanhar a mobilização da juventude em torno de Marcelo Freixo (que inspirou o deputado Fraga do filme “Tropa de Elite 2”), percebe a importância e a necessidade de ocupar a política.
Andando pela cidade do Rio de Janeiro é de arrepiar, além da Primavera Carioca, brotam “freixistas” por todos os lados que realmente acreditam na mudança!

Nós devemos mostrar para a juventude que é possível MUDAR e que, unida, ela tem o poder para isso.

Para que nós, indignados, possamos ocupar a política apresentamos o nome da companheira Thaesa Bacellar como a representante de todos que se indignam com a velha política em Santa Maria. Uni-vos indignados, pois, em casa somos um, juntos somos todos!

“Bom mesmo é ir a luta com determinação,

abraçar a vida e viver com paixão,

perder com classe e vencer com ousadia,

porque o mundo pertence a quem se atreve,

e

A VIDA É MUITO

para ser insignificante”.

(Chaplin)

 * Dionas Pompeu estuda Ciências Sociais na UFSM e é militante do Juntos!. Camila Breda estuda Engenharia Sanitária e Ambiental na UFSM e é militante do Juntos

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017