A luta da juventude em São Paulo e o 11º CONUEE-SP

19/maio/2013, 18h55

*Pedro Serrano

A juventude do estado de São Paulo iniciou o ano de 2013 surpresa com mais uma proposta do governo do PSDB para a educação: O Programa de Inclusão com Mérito no Ensino Superior Paulista (PIMESP). Na tentativa de mudar a imagem do governo tucano em São Paulo, este suposto projeto de “cotas”, na verdade, impede que os estudantes negros e de escolas públicas acessem diretamente a universidade, ampliando a segregação, o racismo e o preconceito.

O PIMESP é mais um exemplo de como opera o PSDB no estado: os movimentos sociais não têm vez e o governo, de maneira autoritária, avança com suas medidas de caráter elitista, desrespeitando os direitos da população. Dentro disso, a juventude sofre de maneira especial. Pelas periferias das cidades, milhares de jovens lidam todos os dias com a falta de educação de qualidade, de acesso à cultura e ao lazer e, principalmente, com a criminalização da pobreza e da juventude negra, como tem ficado claro na atual campanha aberta de Alckmin pela redução da maioridade penal.

Mudar essa situação é uma urgência. Por isso, o Juntos! convoca toda a juventude de São Paulo para que nos levantemos para defender um estado diferente. De norte a sul do país, nosso coletivo tem mobilizado centenas de estudantes rumo ao 53º Congresso da UNE. O recado que queremos levar é de que é possível virar a maré do movimento estudantil nacional! Aqui, em São Paulo, de 14 a 16 de junho, acontecerá também o Congresso Estadual da União Estadual dos Estudantes-SP (CONUEE), e o Juntos! estará presente para ampliar nossa mobilização.

De que lado samba o UEE hoje?

Cherno, presidente da UEE, em reunião de apoio na casa de Zé Dirceu, condenado pelo mensalão.

Cherno, presidente da UEE, em reunião de apoio na casa de Zé Dirceu, condenado pelo mensalão.

Recentemente, duas fotos envolvendo a presidência da UEE-SP chocaram os estudantes de todo estado: a primeira, junto a José Dirceu, convidando-o para estar no CONUEE. A segunda, ao lado de Bebel, presidente da APEOESP que, dias atrás, traiu a luta dos professores do estado e, mesmo derrotada em assembleia, decretou arbitrariamente o fim da greve.

Esses dois episódios demonstram claramente onde está a UEE hoje: encastelada nos gabinetes e envolvida com o que há de pior na política estadual e nacional. Dessa maneira, não existe independência para que se supere a própria política do PSDB no estado. Ligada ao PCdoB e ao PT, a UEE é incapaz de se colocar na linha de frente de inúmeras lutas dos estudantes do estado. A atual direção majoritária da entidade, embora se oponha ao governo estadual, está lado a lado aos piores interesses da política e do governo federal do PT que, recentemente, inclusive, nomeou como seu ministro o vice-governador de Alckmin, Afif Domingos.

Isso também se expressa na luta pela memória, verdade e justiça, que atualmente a

O presidente e outros militantes da UEE junto com a presidenta da Apeoesp, Bebel

O presidente e outros militantes da UEE junto com a presidenta da Apeoesp, Bebel

UEE diz tomar com prioridade, motivo pelo qual o 11º CONUEE acontecerá em Ibiúna, em homenagem a 1968. Entretanto, não há resgate do passado que seja capaz de esconder as contradições do presente. É impossível homenagear Ibiúna estando, hoje, ao lado de figuras que foram linha de frente do período militar, entre elas grandes empresários e políticos, como Paulo Maluf e José Maria Marin. É impossível ser consequente com a luta por memória, verdade e justiça sem apontar os resquícios da ditadura ainda presentes nos atuais governos e no aparelho do Estado nacional. No momento em que o país inteiro se choca com as declarações do torturador Brilhante Ustra à Comissão Nacional da Verdade; no momento em que, na USP, principal universidade do estado, Rodas acaba de aplicar um golpe na Comissão da Verdade local; no momento em que se demonstra cada vez mais urgente a justiça e a transição democrática definitiva no Brasil, somente com independência e combatividade os estudantes podem atingir seus objetivos. Por isso, também em São Paulo, é preciso virar essa maré que mantém a UEE nos gabinetes e distante dos estudantes! 

Independência para lutar por outro futuro em São Paulo

Juventude da Rede Emancipa de Cursinhos Populares ocupando a universidade por mais acesso e contra o PIMESP no V Dia na USP!

Juventude da Rede Emancipa de Cursinhos Populares ocupando a universidade por mais acesso e contra o PIMESP no V Dia na USP!

Muitas batalhas estarão abertas para os jovens e estudantes de São Paulo no próximo período. Uma das principais já está ficando clara em várias cidades do estado: a luta contra o aumento das passagens do transporte público. Seguindo o exemplo de Porto Alegre e, agora, de Natal, o Juntos! acredita que a juventude tem que se levantar pelo direito à cidade! Na capital, por exemplo, o aumento deve ser oficializado pelo governo do PT já nas próximas semanas, e a resposta das ruas tem que vir com força!

É fundamental fortalecer também a luta pela educação e, em especial, pelo acesso às universidades públicas. Nas Universidades Estaduais Paulistas, é urgente que se tenha um projeto verdadeiro de cotas e democratização do acesso, sem o que a juventude negra e da periferia seguirá distante do ensino superior de qualidade. Nesse sentido, reivindicamos o exemplo da atual luta dos estudantes da UNESP em defesa de cotas e da melhoria das condições de ensino em sua universidade.

Essas e outras batalhas fazem parte da luta por outro futuro para a juventude também em São Paulo. E somente com independência política se pode de fato estar do lado dos estudantes! Junto com a Oposição de Esquerda, que se fortalece em todo país, esse é o recado que o Juntos! quer levar ao CONUEE-SP! Vamos juntos!

 

*Pedro Serrano é diretor do DCE-Livre da USP e membro do Grupo de Trabalho Estadual do Juntos-SP

 

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017