Não à PEC 37! Que o deputado ganhe o salário do professor!

22/jun/2013, 12h21

As ruas do Brasil estão completamente tomadas. Com o exemplo da juventude, toda população está percebendo que a melhor maneira de reivindicarmos nossos direitos é com mobilização. Marchando, estamos forjando nossos próprios líderes, métodos e reivindicações. Sem nenhum medo, estamos construindo o novo!

A redução de tarifas de ônibus em todo Brasil já demonstra nossa força. Mas nós não queremos só 20, 15 ou 10 centavos. Queremos muito mais: os nossos direitos. Dignidade. E continuando nas ruas podemos conquistar!

Com medo da população, o Congresso Nacional já adiou a votação da PEC 37. Nosso movimento na rua não admite a impunidade e não permite que políticos corruptos, em seus velhos partidos, mandem e desmandem no país. A PEC 37 é um grave atentado à democracia, pois tira do Ministério Público o direito de investigar crimes, permitindo somente que as Polícias Federal e Civil o façam. Ou seja, tenta acobertar os crimes de colarinho branco. Uma grande demonstração desse absurdo é saber quem redigiu, em 1988, o texto que agora a PEC 37 quer suprimir: Plínio de Arruda Sampaio, militante de 83 anos que segue até hoje do lado do povo!

Queremos derrotar a PEC 37. Mais do que isso, queremos avançar pra valer na democracia do país. Nosso movimento na rua é para conquistar e garantir direitos da juventude e dos trabalhadores. O direito ao passe-livre, ao transporte de qualidade, ao investimento nas áreas sociais e não na Copa. O direito à liberdade e a oposição a todos Marcos Felicianos, à homofobia, ao machismo e ao racismo.

Em especial, daqui em diante, lançaremos uma campanha: “Que o deputado ganhe o salário do professor”. Será que eles vão topar? Nas ruas, podemos garantir que quem tenha os benefícios em nosso país sejam os trabalhadores, a educação, a saúde e nossos direitos, e não os velhos políticos!

Assine e compartilhe o abaixo-assinado no Avaaz:
Não à PEC 37! Que o deputado ganhe o salário do professor!