A necessária democratização dos meios de comunicação!

22/jul/2013, 23h11

                                                                                                                                                                                                                                           *por Diames Brum

A necessária democratização dos meios de comunicação!
Meus amigos.
Mais do que nunca é estratégico e fundamental o nosso engajamento nessa luta. Se não tivermos democracia da informação, vamos continuar dependentes da grande mídia que todos os dias distorce e destrói a nossa luta por justiça social!

Por que a democratização da comunicação é um passo fundamental?

É inegável que a constituição de 88 foi um grande avanço da sociedade brasileira. Mas ainda hoje muitos dos nossos justos direitos constitucionais não se tornaram realidade. Por quê? A realidade meus amigos é que o verdadeiro grito do povo brasileiro é sufocado todos os dias pela mídia corporativa que domina nosso país! Porque será que as comunidades, sindicatos e movimentos sociais reúnem centenas, milhares de pessoas, fazendo variados manifestos em busca de JUSTIÇA SOCIAL, mas parece que tudo é distorcido (a mídia só divulga a pauta da direita)! As nossas verdadeiras lutas não passam nos telejornais ou geram notícias de poucos segundos. Quando geram notícia, na maioria das vezes, o “direcionamento” editorial das reportagens é contrário aos direitos sociais. O mesmo ocorre nos grandes jornais e revistas que, muitas vezes, possuem proprietários ou interesses comuns aos transmitidos pelos barões da TV aberta brasileira. O que enxergamos na grande mídia brasileira é a voz de poucos grupos poderosos (banqueiros, grandes empresas (geralmente também grandes e milionários anunciantes dessa mesma mídia), grandes corporações do agronegócio e um sempre influente grupo de multinacionais que há muito tempo defende interesses nada nacionalistas e contrários ao interesse da grande maioria do povo).
O pleno exercício da nossa cidadania, a busca da dignidade do povo brasileiro, os nossos direitos fundamentais de acesso à educação e à saúde pública de qualidade. Essas lutas e tantas outras são atrasadas ou impedidas por um poderoso instrumento de comunicação que no Brasil, de forma absurda, pertence apenas a um pequeno grupo.
O que existe no Brasil não é “liberdade de imprensa”, é, sim, domínio corporativo da informação. Mesmo com todo o avanço da comunicação por mídias alternativas (internet, TV por assinatura,etc.,) no médio prazo a TV aberta continuará sendo um gigante e o grande “informador” do povo brasileiro. Além disso, mesmo as mídias alternativas estão tendo imensa participação dos mesmos proprietários das redes de TV aberta.
A TV aberta é o maior gigante da comunicação pública do Brasil (isso também é importante dizer: a televisão é uma concessão pública, um direito do povo brasileiro!). As concessões na TV aberta brasileira (realizadas quase totalmente em situações nada democráticas) estão nas mãos de cerca de dez famílias.
Você já parou para pensar qual o tamanho da influência dos proprietários de veículos de informação como Globo, Veja e Folha de São Paulo na vida dos brasileiros?
Uma das grandes corporações de mídia no Brasil detém mais de 50% do mercado de comunicação do país. Sendo assim, a ideia de comunicação e transmissão dos fatos dessa corporação é propagada de forma massiva em todo o país por suas dezenas de afilhadas. Essa corporação é controlada por uma conhecida família da elite nacional e historicamente defende interesses de uma minoritária e poderosa parcela da burguesia brasileira.
Infelizmente, no Brasil, a existência de uma atrasada legislação de imprensa, ainda impossibilita que a informação seja democratizada, existindo oligopólios e corporações de imprensa que dominam a possibilidade a comunicação nacional.
Qual a solução proposta?
O Brasil possui uma situação absurda no que se refere à democracia da comunicação. A concentração da comunicação brasileira é um destaque mundial negativo (não se tem conhecimento de país no mundo ocidental com tamanho domínio da mídia) e um obstáculo para transformarmos o Brasil em um país com justiça social.
Por mais que a mídia brasileira seja reacionária e um “partidão” de extrema direita, a solução não é “calar” essas corporações. Entendemos que elas podem continuar propagando suas bobagens, por mais parciais e injustas que sejam seus editoriais. MAS ELES NÃO PODEM MAIS FALAR SOZINHOS!! Por isso é fundamental uma nova e democrática lei de comunicações. A direita tem que poder falar, mas a esquerda também; o banqueiro pode falar, mas os sindicatos também; o latifundiário pode falar, mas o MST e a via campesina também; o agronegócio fala, mas os ecologistas também; o governo pode falar, mas os aposentados e os estudantes também!
Vamos ampliar a liberdade de expressão, para termos mais diversidade e pluralidade na televisão e no rádio!
Ninguém vai assumir essa batalha por nós, então vamos no exercício da cidadania lutar e mudar o Brasil!!

Lei da mídia democrática já!!!
A coleta de assinaturas do projeto de lei de iniciativa popular já começou!!
Vamos à luta!!

Abaixo o sítio que contém informações e materiais sobre o projeto:
http://www.paraexpressaraliberdade.org.br/

Projeto e folha de assinaturas: baixar

                           *Diames Brum é trabalhador da Receita Federal e membro Juntos Pelotas