Seixas e sua administração abalada estruturalmente

15/jul/2013, 05h10

Por Eduardo Henrique*

mais escândalos marcam a Administração Seixas, que veio para implantar a Universidade e já se mostra incapaz de concretizar o sonho da população de ter acesso a Universidade pública e de qualidade. Os escândalos já corroeram a estrutura da Reitoria Seixas, que desabará através das constantes mobilizações!

 

Escândalo Sobre a Estrutura do Hotel

 Observa-se claramente que o hotel não é seguro, já que apresenta rachaduras, neste semestre, alunos já relataram sentir tremores no hotel, que já foi interditado anos atrás por conta da falta de estrutura e do risco que oferecia de desmoronamento. Três vezes já caíram pedaços de gesso, das quais duas em971751_473155726101221_1416035618_n salas de aula e uma vez no corredor do andar alugado pela UFOPA, colocando em risco a segurança de todos da Universidade.

Em meio ao Escândalo, tem sido ventilado pelos corredores da Universidade, a possibilidade da compra do hotel, pela UFOPA, devido à requisição de visita da Secretaria de Patrimônios da União (SPU), para vistoriar o hotel, o que gerou grande insatisfação com mais esse abusoo da Reitoria Seixas e companhia.

está anunciado, também, o aluguel do primeiro andar do hotel (além da renovação do aluguel do segundo andar) , nota-se que o térreo, hoje, já é praticamente tomado pela administração da UFOPA, também, o terceiro andar está sendo reformado para alugar para a Universidade, o galpão de festas, anexo do hotel, sofreu obras para comportar salas para serem utilizadas pela UFOPA, as quais também possuem condições precárias, sobretudo no que diz respeito à segurança contra possíveis acidentes, além de ofertar salas com divisórias, ou seja, salas improvisadas.

No caso desta sexta, ouviram-se barulhos de “concreto rachando”, além da quebra do piso, o que gerou caos ao corpo acadêmico que estava em aula na Universidade, fazendo com que bombeiros fossem chamados. Com a chegada do corpo de bombeiros, constatou-se que o espaço não apresenta plano para possíveis desastres: não possui saídas de emergência, escadas de emergência, extintores de incendeio suficientes, dentre outros fatores, colocando todos em risco. O hotel também deve passar por avaliação de engenheiro civil, devido a fatores que indicam que as estruturas do hotel estão abaladas.

Desta forma, em protesto, muitos saíram do hotel e organizaram uma manifestação espontânea, posteriormente acampando na entrada do hotel, até que o mesmo fosse interditado.

382570_603055613071820_1804015570_n

A Queda do Seixas

Com tudo isso, conclui-se que vivemos diante de uma verdadeira falta de comprometimento do Reitor, que ao ser imposto pelo governo federal, não se compromete com a região e o corpo da Universidade, em construir a UFOPA que Queremos, pois não estabelece diálogo, em três anos e meio de universidade, não esclarece questões da Universidade, como a  prestação de contas, não vem a público discutir o Estatuto aprovado no Congresso Estatuinte, completamente modificado no CONSUN, não observou as denúncias anteriores, sobre a estrutura do hotel.

Se o prédio está caindo, sem estrutura, Seixas cairá antes, pois nós não aceitaremos colocar nossas vidas em risco, para manter os interesses do Seixas e sua administração. Desde o começo, passando por vários escândalos de corrupção, falta de democracia, parceria público privada, interdição arbitrária de ruas do município, estrutura do prédio, compra do prédio.

Temos uma administração já desgastada, comprovadamente incompetente em suas funções administrativas, pois não consegue implantar a Universidade, gastando cerca de 3,4 milhões por ano, na estrutura abalada do hotel, Reitoria esta que também está com seus interesses e suas pernas abaladas. Queremos uma Universidade de verdade, comprometida com a democracia, não queremos o Seixas!

 

Se no Brasil nós vencemos o aumento das passagens, se em Santarém mantivemos a meia congelada, na UFOPA derrotaremos o Seixas e implantaremos a Democracia!  #ForaSeixas!

Eduardo Henrique é estudante de Direito, diretor do DCE e membro do Juntos!