Outro Amarildo. Paulistano e mais jovem. Até quando?

28/out/2013, 12h48

A hipocrisia dos grandes meios de comunicação busca esconder a violência policial sem limites. Na mesma semana em que se montou um espetáculo com as imagens da briga entre manifestantes e o Coronel da polícia, com direito a pronta declaração dos governantes, tivemos outro lamentável episódio da ação policial contra os pobres. E com o silêncio dos governantes.

No domingo, 27 de outubro, no bairro Jaçanã, zona norte de São Paulo, um disparo vitimou o jovem estudante, Douglas Rodrigues, de 17 anos. Isso gerou revolta dos moradores da região. A justificativa oficial da PM foi um “tiro acidental”. Um jovem trabalhador que foi abordado por escutar “música alta”. O disparo dos covardes interrompeu a trajetória de mais um jovem. São danos irreparáveis para sua família e amigos. Poderia ser qualquer colega nosso.

Este fato, para além de desnudar a hipocrisia dos que condenam as manifestações, apenas desvela o caráter assassino da polícia. E neste período turbulento, onde os governantes precisam investir em leis mais duras para evitar as manifestações, precisamos tirar conclusões.

Exigimos o imediato esclarecimento dos fatos!
Reparação e indenização para a família.
Punição e prisão para os assassinos de Douglas.
Por uma ampla campanha contra a violência policial.
Pela desmilitarização da polícia.

São Paulo, 28 de outubro de 2013

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017