Um chamado ao apoio à luta por democracia nas universidades!

17/out/2013, 11h52

*Equipe Universitária do GTN

 

Nas últimas semanas a luta pela educação tem ganhado destaque no país. Seja no Rio de Janeiro em que mais de 100 mil foram às ruas apoiar a luta dos profissionais da educação, seja no estado de São Paulo com a luta dos estudantes da USP e da UNICAMP. A indignação que tomou as ruas em junho e que com a força das mobilizações reduziu a tarifa do transporte público segue viva também nas universidades.

A mobilização dos estudantes em São Paulo é por democracia. Na Unicamp os estudantes se organizaram contra a imposição do convênio com a PM, lutam por um plano de segurança que seja debatido democraticamente com a comunidade universitária. E a mobilização dos estudantes já alcançou vitórias, e a luta por democracia segue. Na USP a mobilização teve seu estopim após a recusa por parte da reitoria em adotar eleições diretas para reitor ou ao menos realizar uma reunião do Conselho Universitário aberta com participação de toda a comunidade universitária.

A USP é uma das universidades mais antidemocráticas do país. O processo de escolha do reitor é feito por menos de 3% da comunidade universitária e a decisão final fica a cargo do governador do estado, que pode escolher entre os três mais votados que compõe a lista tríplice. Nos últimos quatro anos a luta por Diretas Já se intensificou depois que o autoritário e truculento João Grandino Rodas assumiu a reitoria da universidade.

Em junho a juventude foi às ruas indignada com os governos, os partidos da ordem e os políticos corruptos. Agora, a luta que os estudantes da USP travam não tem o Reitor Rodas como único alvo: Ela também envolve o governador Gerado Alckmin, envolvido recentemente em graves escândalos de corrupção. Será que mesmo após 28 anos do fim da ditadura, seus métodos continuaram a existir nas universidades? Em que democracia vivemos se é retirada à comunidade universitária o mínimo, que é o poder de escolha do Reitor?

A reivindicação estudantil por democracia não é uma novidade, é uma luta histórica dos estudantes brasileiros. Hoje se insere em um contexto nacional de pós Revolta de Junho em que as mobilizações, mesmo que setorizadas, ganham força e intensidade acelerada. Afinal, aprendemos que só a luta muda a vida e alcança vitórias.

A defesa da democracia é a defesa da construção de uma universidade verdadeiramente pública e livre. Por isso, a vitória dos estudantes da USP e da Unicamp é também a vitória dos estudantes de todo o Brasil que lutam por democracia. Portanto, convidamos todos os DCEs, Centros Acadêmicos, Executivas de curso e movimentos a debaterem o tema, a se juntarem na luta e a enviarem moções de apoio à luta dos estudantes. Vamos juntos lutar por democracia nas universidades.

 

Link para moções de apoio: http://ocupacaousp2013.wordpress.com/2013/10/02/47/

Confira as várias entidades que já enviaram: http://ocupacaousp2013.wordpress.com/mocoesdeapoio/

*Equipe Universitária do Grupo de Trabalho Nacional do Juntos!

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017