Todo apoio à luta dos moradores da Vila Atlântida – Montes Claros/MG

03/dez/2013, 21h38

*Por Vitor Alcantara e Barbara Mendes

No dia 13 de novembro aproximadamente 31 famílias (200 pessoas) moradores do bairro Vila Atlântida foram notificadas que teriam o prazo de 10 dias para deixar suas casas. Este prazo se encerrou sexta-feira (22 de novembro), e desde então estas famílias vivem em constante apreensão, uma vez que a ameaça de uma retirada à força é constante.

Foi sugerido pela prefeitura que elas se mudassem para as casinhas populares previstas para serem entregues em dezembro. Mas isso não seria uma solução, uma vez que o transporte para a localização das casas populares é escasso, não há escolas nas proximidades, o tamanho das casas não comporta a quantidade de membros das famílias e eles teriam que comprar as casas, de forma que todo o dinheiro investido nas suas atuais residências não valeria nada! O impasse acontece porque está previsto a construção de uma avenida que deverá dar acesso ao Parque Lapa Grande, e tal avenida deverão passar no local onde se encontra as casas.

Mas os moradores alegam que o real motivo para a retira deles são as construções de condomínios que cresce na região. Querem que eles saiam de lá para melhorar a imagem do local e valorizar tal área.

Depois de muito descaso, os moradores da Rua Manoel de Souza Brasil mais conhecida como “rua do bagaço”, decidiram se unir em luta de suas casas para resistir à tentativa do prefeito Ruy Muniz de jogá-las no chão.

Nessa rua nasceram, cresceram e passaram muito tempo tentando construir suas casas. Nessa rua moram crianças, adultos e idosos. Lutaram para construir cada cômodo. O dinheiro suado de pais de família foi-se então para cada tijolo de suas moradas. Eles pagam conta de Água, Luz, e principalmente pagam o IPTU – Imposto Sobre a Propriedade Territorial Urbano. Estamos Juntos! nesta luta para que seja garantido a estas famílias um mínimo de dignidade e pela permanência das mesmas em suas casas! “Enquanto morar for um privilégio, Ocupar é um direito!”

*Vítor Alcântra e Bárbara Mendes, militantes do Juntos Montes Claros/MG

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017